Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Ar-condicionado

Sindicato volta a paralisar agência da Caixa no Tucuruvi

Linha fina
Unidade na zona norte de São Paulo tem equipamento de climatização defasado e, consequentemente, bancários e clientes sofrem com altas temperaturas
Imagem Destaque
Foto: Seeb-SP

Dirigentes do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e a Apcef-SP foram mais uma vez até a agência da Caixa Econômica Federal no Tucuruvi, zona norte de São Paulo, na manhã dessa terça-feira 15, para pressionar o banco a resolver o problema do ar-condicionado no local. Devido à estrutura do prédio, que tem teto de zinco e pé direito muito alto, o equipamento de climatização não tem dado vazão para amenizar o forte calor.

No início do mês, o Sindicato já havia realizado uma paralisação no local por melhores condições de trabalho. Nesta terça, o departamento logístico da Caixa (Gilog) realizou uma reunião com os técnicos da empresa terceirizada responsável pela manutenção geral das infraestruturas do banco. Entretanto, até que uma solução seja implementada, as atividades da agência permanecerão paralisadas.

“A estrutura do edifício requer um sistema de climatização mais eficiente. A atual situação afeta o bem estar dos bancários e dos clientes, que estão tendo que enfrentar temperaturas muito altas dentro da agência. Houve relatos, inclusive, de clientes que passaram mal lá dentro devido ao calor insuportável! Vamos continuar cobrando até que haja condições dignas de trabalho para todos”, afirmou o o secretário de Finanças da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Sergio Takemoto.

Inferno nas agências

O ​Sindicato recebe todos os anos dezenas de denúncias sobre falta de manutenção no ar-condicionado de agências de diferentes bancos e localidades, resultando em queda da produtividade, mal estar e adoecimento para o trabalhador e insatisfação de clientes. Caso o problema esteja ocorrendo no seu local de trabalho, você pode denunciar a um dirigente sindical clicando aqui, pelo telefone (11) 3188-5200 ou ainda através do WhatsApp (11) 97593-7749. Veja telefones e endereços das regionais. O sigilo do denunciante é garantido.