Praça da Sé

Esquenta para a greve geral, por diretas e direitos

Na cidade de São Paulo, a manifestação será realizada na terça-feira 20; CUT, centrais e demais organizadores também promoverão atividades em outras regiões do Brasil

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 13/06/2017 17:44 / Atualizado em 14/06/2017 12:05

Praça da Sé voltará a ser palco de manifestação por diretas

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (arquivo)

São Paulo - A mobilização dos brasileiros pelas Diretas Já e contra a retirada de direitos, promovida pelas reformas trabalhista e da Previdência do governo Temer, ganha mais um capítulo na terça-feira 20, com ato marcado para a Praça da Sé, centro de São Paulo, a partir das 17h.

> Ato no Rio reúne mais de 100 mil pessoas pelas Diretas Já
> Diretas Já e Fora Temer leva multidão às ruas em 4 capitais
> Mais de 100 mil em SP pedem diretas já e enaltecem as ruas
> Mais de 200 mil tomam a capital por Fora Temer e Diretas Já

Chamada "Dia Nacional de Mobilização contra as reformas da Previdência e Trabalhista", a manifestação também servirá como preparação para a greve geral de 30 de junho. A expectativa é repetir a paralisação nacional do dia 28 de abril, quando mais de 40 milhões de trabalhadores cruzaram os braços.

O esquenta é organizado pela CUT, demais centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, e terá atividades por todo o Brasil.

A mobilização dos brasileiros rechaça, principalmente, as reformas trabalhista e da Previdência do governo Temer, que, apesar do nome, representam o fim de direitos conquistados com muita luta, como os previstos na CLT e a aposentadoria pública.

Reaja! - A presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, lembra que além da greve geral e mobilizações, é preciso manter a pressão sobre os parlamentares também pelo mundo digital, enviando e-mails para alertá-los de que, se votarem a favor das reformas, não serão reeleitos. A reforma da Previdência ainda está na Câmara, então mande e-mails para os deputados. A trabalhista já foi aprovada pelos deputados e agora no Senado, então, mande e-mail para os senadores.

Pesquisa CUT-Vox Populi: 89% querem eleições diretas
Reformas trabalhista e da Previdência são rejeitadas pelos brasileiros
PEC das Diretas passa e vai a plenário no Senado
Reforma da Previdência é desumana, afirmam juízes
Reforma da Previdência: só o trabalhador pagará essa conta

 

 



Voltar para o topo