Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Lucro a qualquer preço

Bradesco quadruplica metas em pleno agravamento da pandemia

Imagem Destaque

Mesmo com diversas agências fechadas para sanitização ou desfalcadas com o afastamento de bancários por covid-19 ou influenza (H3N2), o Bradesco está triplicando e em alguns casos quadruplicando metas de vendas. As várias denúncias que chegaram ao Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região dizem respeito a diferentes agências da Diretoria São Paulo Sul/Oeste, e a um Departamento de Investimentos do banco, também na capital paulista.

“Bancários estão pedindo nosso socorro, pois, com a diminuição do número de funcionários devido ao aumento de casos positivos para covid ou H3N2 e com o aumento do número de fechamento de agências em obediência ao protocolo covid, está praticamente impossível entregar os resultados exigidos!”, destaca a dirigente do Sindicato Fernanda Reis, bancária do Bradesco.

Os trabalhadores contaram ao Sindicato que as cobranças por mensagens, vídeos, e-mails e telefonemas estão sendo feitas o dia todo e inclusive nos horários fora do expediente bancário.

“Segundo os relatos dos bancários, seus superiores teriam argumentado que o aumento das metas era para compensar as metas não realizadas no ano anterior e ainda antecipar as metas do ano de 2022. Mas o banco parece não lembrar que no ano passado vivemos o pior momento da pandemia no Brasil, com recordes nos números de mortes. O banco parece não lembrar também que, com a chegada da variante Ômicron, o número de contaminações por covid voltou a bater recordes nesse início de ano”, ressalta Fernanda.

“Outra coisa que o banco parece esquecer é que as demissões e fechamento de agências também não cessaram durante a pandemia, o que também impacta na entrega dos resultados”, acrescenta a dirigente.

De março de 2020, quando começou a pandemia, até setembro de 2021, o Bradesco extinguiu 9.498 postos de trabalho, segundo o último balanço divulgado pelo banco.

A dirigente ressalta ainda que o movimento sindical bancários cobrou, na última mesa de negociação com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), no dia 18 de janeiro, a suspensão das demissões durante a pandemia e das metas abusivas.

Sindicato tomará providências

A dirigente Fernanda Reis informa que o Sindicato já entrou em contato com o banco cobrando o fim das metas abusivas. “Cobramos esclarecimentos do banco e deixamos claro que essa cobrança abusiva, num momento crítico como este, é desumana e irresponsável.”

Ela orienta ainda que os bancários continuem denunciando ao Sindicato as metas abusivas, assédios e demais problemas. O sigilo dos denunciantes é garantido.

O dirigente ressalta que o Sindicato está lutando pela continuidade e ampliação do teletrabalho na pandemia, e orienta os bancários a continuarem denunciando à entidade os desrespeitos do banco ao protocolo covid. O sigilo do denunciante é garantido.

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio