Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Contra o Desmonte

Sindicato cobra respeito aos empregados e debate sobre verticalização na Caixa

No dia 5 de março, segundo apurado, está previsto pela direção do banco o descomissionamento de centenas de gerentes pessoa jurídica

  • Leonardo Guandeline, Spbancarios
  • Publicado em 28/02/2018 16:58 / Atualizado em 28/02/2018 17:05

São Paulo – O Sindicato e a Apcef estão cobrando audiência com a diretoria regional da Caixa, responsável por uma série de decisões unilaterais que tanto têm prejudicado os trabalhadores, e exigindo respeito aos empregados e o fim dos descomissionamentos impostos na verticalização do banco. Para isso, tanto o Sindicato quanto a Apcef estão visitando todas as superintendências, discutindo a situação dos trabalhadores e impedindo abusos.

Verticalização cria clima de pânico entre empregados da Caixa

Além de manter o embate pelo fim da virtualização – uma decisão arbitrária que fragiliza a Caixa no mercado por deixar de atender seus principais clientes buscando um segmento que já está fidelizado pelos grandes bancos privados –, a Caixa prejudica seus empregados e o atendimento à população.

No dia 5 de março, segundo apurado, está previsto o descomissionamento de centenas de gerentes pessoa jurídica que não atingiram a meta de 200 pontos de encarteiramento. Para esses empregados foi dada a opção de assumir como gerente de atendimento de negócios, o antigo supervisor, uma função menor.

“Da matriz vem a ordem para executar a verticalização dos gerentes pessoa jurídica no dia 5 de março. Isso atenta contra a carreira dessas pessoas”, pontua o diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Dionísio Reis.

Segundo ele, na gerência pessoa física a Caixa mudou recentemente a regra de enquadramento das carteiras, aumentando de 900 para 1,2 mil o número de clientes qualificados para formar carteira por gestor.

O diretor do Sindicato lembra que, além de descomissionar arbitrariamente os empregados, a Caixa revogou o RH-151, que garantia a incorporação de função após mais de 10 anos de cargo, e tanto a Fanae quanto a Contraf-CUT têm ações contra mais essa medida unilateral.

 

 

Para discutir possíveis ações a respeito da verticalização, o Sindicato irá realizar plenárias com os empregados da Caixa. “Os trabalhadores, inclusive, já podem se adiantar e preencher um formulário com nome, telefone e e-mail que entraremos em contato”, salienta Dionísio Reis.

O formulário pode ser acessado por meio deste link. E fique tranquilo: nenhuma informação será tornada pública!



Voltar para o topo