Representação

Fabiano Félix toma posse como Caref

Eleito como representante dos funcionários no Conselho de Administração do BB, Fabiano terá a missão de defender os interesses dos bancários e o fortalecimento do papel da instituição para o desenvolvimento do país

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 16/05/2017 12:03 / Atualizado em 16/05/2017 12:44

Foto: Bancários Rio

São Paulo – Eleito no final de fevereiro, Fabiano Felix tomou posse como novo Conselheiro de Administração Representante dos Funcionários (Caref) na quarta-feira 10. Com mandato de dois anos, Fabiano tem a missão de defender os interesses dos funcionários no Conselho e também o fortalecimento do papel do BB, como banco público, para o desenvolvimento do país.

"Temos muito trabalho pela frente. A conjuntura do país é das mais perigosas, com ataques aos direitos dos trabalhadores, aos direitos constitucionais, com reflexos no BB. A direção do banco, através de uma reestruturação descabida, reduz o quadro de funcionários, aumentando a sobrecarga e precarizando o atendimento; descomissiona bancários; elimina cargos e fecha agências. O resultado disso, além da insatisfação dos clientes, é o desmonte do BB", avalia Fabiano.

> Culpa de queixas ao BC é da direção, não dos bancários

Como novo representante dos funcionários no Conselho de Administração do BB, Fabiano buscará um Caref mais atuante e próximo dos funcionários, tanto da ativa quanto aposentados. “Vamos buscar a retomada do saldo positivo de contratações, como aconteceu com Rafael Matos como Caref, com a contratação de mais de três mil bancários. Também terei como premissa aproximar os funcionários, criando canais de comunicação eficientes. Precisamos da participação de todos neste momento.”

De acordo com Fabiano, é de grande importância defender os bancos públicos diante dos ataques do governo Temer, que afetam os trabalhadores da instituição e todo o conjunto da sociedade. “O BB e o Banco do Nordeste são responsáveis por 70% do volume dos créditos concedidos para a agricultura familiar, que por sua vez é responsável por 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros. 56% do crédito no Brasil é oferecido pelos bancos públicos. Enfraquecer estas instituições, como faz o governo federal, é frear o desenvolvimento do país”.

> Em defesa dos bancos públicos: verdades e mentiras

Por fim, Fabiano destaca a importância da parceria entre Caref e as entidades representativas dos funcionários do Banco do Brasil. “Os sindicatos têm o papel de mobilização dos trabalhadores. O Caref, por sua vez, pode municiar todas as entidades com informações sobre diretrizes adotadas pela direção do banco. O mandato está à disposição de todos os sindicatos e associações dos funcionários do BB como, por exemplo, a ANABB, Previ e Cassi. Sempre com foco nos interesses dos trabalhadores e no fortalecimento da instituição”, conclui. 



Voltar para o topo