Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Campanha 2018

Todos por saúde e condições de trabalho!

Próxima mesa de negociação com a Fenaban, em 19 de julho, abordará o tema; categoria sofre com sobrecarga, assédio moral e outros fatores no local de trabalho que levam ao adoecimento

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 17/07/2018 18:03 / Atualizado em 19/07/2018 11:43

Arte: Linton Publio

A terceira mesa de negociação entre bancários e a Fenaban (federação dos bancos), no dia 19 de julho, acontece nesse momento. A mesa aborda Saúde e Condições de Trabalho. Os bancários sofrem com sobrecarga de trabalho, potencializada com o corte de empregos; cobrança abusiva por metas; assédio moral e outros fatores nocivos à saúde presentes em agências e departamentos. No mesmo dia da negociação, a partir das 9h, os bancários mobilizaram as redes com um grande tuitaço. Por duas horas, a hashtag #querotrabalharempaz ficou entre os dez assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. 

> Ivone Silva comenta segunda rodada de negociação com a Fenaban
> Campanha 2018: calendário de negociações foi definido
> Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

“Os bancários estão entre as categorias que mais adoecem. Se antes a maior causa de afastamentos eram lesões por esforço repetitivo, desde 2013 transtornos mentais e comportamentais ultrapassaram as LER/Dort e se mantiveram como as enfermidades com maior incidência. Isso evidência o quanto a política de gestão dos bancos, focada na cobrança abusiva de metas, assédio moral, competição e sobrecarga adoece o bancário”, diz a presidenta do Sindicato, Ivone Silva, uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, que representa a categoria na mesa de negociação com a Fenaban, o sindicato patronal.

> Vida de bancário tá osso! 
> Fim da ultratividade ameaça CCT

Ivone lembra que desde que Temer assumiu a Presidência, a saúde dos trabalhadores, assim como todos os seus direitos, está sob ataque. “A reforma trabalhista autorizou que gestantes e lactantes trabalhem em ambientes insalubres e retirou das empresas a responsabilidade por acidentes no percurso entre casa e trabalho, entre outros prejuízos. Milhares de trabalhadores também tiveram benefícios do INSS cancelados.”

“Vamos cobrar que sejam mantidas cláusulas da CCT que protegem a saúde do bancário e combatem o assédio, além de avançar em questões como, por exemplo, a reabilitação no retorno ao trabalho, que não pode manter as mesmas condições que levaram ao adoecimento. Saúde é fundamental. Na consulta à categoria, o tema teve grande destaque dentre as prioridades apontadas. O que, pelo número de bancários adoecidos que procuram o Sindicato todos os dias, não nos surpreende”, conclui Ivone.

Segunda mesa

No dia 12 ocorreu a segunda mesa com a Fenaban, na qual foi definido o calendário de negociações. Além de Saúde e Condições de Trabalho (19 de julho), estão agendadas mesas de Emprego (25 de julho) e Cláusulas Econômicas (1º de agosto). A Fenaban não assinou o pré-acordo para garantir a validade da CCT após 31 de agosto. Entretanto, se comprometeu a fazê-lo caso as negociações não avancem. 

 

 

> Empregados e Caixa definem calendário de negociação
> Negociação com BB define calendário e abrangência do acordo



Voltar para o topo