Pular para o conteúdo principal

Bancários devem esperar e tirar dúvidas antes de aderir ao PDVE

Linha fina
Sindicato estuda impactos do plano de desligamento voluntário e orienta trabalhadores a esperar pelo plantão da entidade, a partir de segunda 24, para decidir com total clareza e liberdade de escolha sobre adesão
Imagem Destaque
Foto: Taís Nozue

São Paulo – Os bancários do Bradesco com estabilidade, como em período de pré-aposentadoria, por exemplo, devem aguardar antes de decidir se devem aderir ao Plano de Desligamento Voluntário Especial anunciado pelo banco no dia 13 de julho. Essa é a orientação do Sindicato, que estuda os impactos do plano para estes trabalhadores e oferecerá um plantão para tirar dúvidas a partir de 24 de julho.

A secretária-geral do Sindicato e bancária do Bradesco, Neiva Ribeiro, lembra que os trabalhadores têm até 31 de agosto para decidir sobre a adesão, e só devem fazê-lo, caso queiram, tendo o máximo de informações possíveis. Segundo o RH do banco, quem já aderiu ao PDVE pode desistir do processo nesse momento e ainda assim fazê-lo até o fim do prazo.

“É preciso tomar uma decisão consciente antes de aderir ou não ao plano, analisando os prós, os contras e a sua própria realidade. Quem aderir antes de 2 de agosto, por exemplo, estaria abrindo mão da PLR deste ano, e isso não está claro na normativa”, explica Neiva. A Comissão de Organização dos Empregados (COE) terá reunião com o banco nesta quinta-feira 20 para discutir esse e outros temas ligados ao plano.

Regras – São elegíveis ao plano todos os bancários que já estejam aposentados pelo INSS, ou que estejam aptos a requerer o benefício previdenciário da aposentadoria por idade ou tempo de contribuição, integral ou proporcional, até 31 de agosto de 2017. No caso dos trabalhadores de departamentos e coligadas, a única exigência é tempo mínimo de trabalho de 10 anos no Bradesco ou em empresas incorporadas.