Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Desrespeito!

A exceção virou regra! Caixa abre no sábado para saques do FGTS

Linha fina
Sindicato, contrário ao trabalho aos sábados, cobra que bancários ao menos sejam comunicados pelo banco com antecedência e o pagamento das horas extras com 100% de adicional, como determina o Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho
Imagem Destaque
Foto: Seeb-SP

A exceção virou regra na Caixa. Novamente, o banco público antecipou o saque de contas inativas do FGTS. Desta vez para os nascidos em dezembro. No sábado 8, cerca de duas mil agências estarão abertas em todo o país, das 9h às 15h, para atender esta demanda. O Sindicato dos Bancários, que é contrário ao trabalho aos sábados, tem recebido diversas denúncias de que bancários não são comunicados sobre a alteração nos horários e dias de funcionamento das agências e de que a Caixa não está pagando corretamente as horas extras dos empregados convocados para trabalhar aos finais de semana.

“Os bancários têm reclamado muito de que são os últimos que ficam sabendo, sempre pela televisão, da ampliação do horário durante a semana e também da abertura das agências aos sábados. Além disso, caixas e tesoureiros estão insatisfeitos com a falta de segurança nas agências, que ficam extremamente lotadas”, relata o diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis.

O dirigente lembra ainda que os gerentes gerais, como exercem cargo de confiança, não ganham nada para trabalhar aos sábados. “É um absurdo. Não faltam denúncias de que os empregados estão sendo coagidos para trabalhar aos finais de semana. Durante o Congresso Nacional, 316 delegados, representando bancários da Caixa de todo o Brasil, aprovaram resolução de não trabalho aos sábados. Uma situação excepcional que virou regra no banco.”

Horas extras

Outro problema relacionado com o trabalho aos sábados é o não pagamento das horas extras com adicional de 100%, como determina a cláusula 9 do acordo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que classifica sábados, domingos e feriados como repouso semanal remunerado.

“A Caixa, ao pagar as horas extras com apenas 50% de adicional, está descumprindo a CCT e o compromisso assumido em audiência na Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, em Brasília. Se a direção do banco quer que o bancário trabalhe aos sábados, em uma situação de excecionalidade, que pelo menos cumpra a legislação. O Sindicato já cobrou a Caixa diversas vezes sobre esta questão e está avaliando as medidas judiciais cabíveis para garantir o pagamento correto das horas extras nas próximas datas e o acerto das horas já pagas sem o adicional de 100%”, esclarece Dionísio.

> Sindicato cobra Caixa sobre trabalho aos sábados

Todo cuidado é pouco

O dirigente enfatiza ainda que o não trabalho aos sábados é uma conquista da categoria bancária, da década de 50, que hoje está em risco.  

“Ao considerarmos ´normal` que a Caixa abra aos sábados para saques do FGTS, colocamos este direito em risco. É importante lembrar que, na atual conjuntura política, direitos que considerávamos consolidados estão seriamente ameaçados. Já foi protocolado projeto de lei [PL 203/2017], de autoria do senador Roberto Muniz (PP-BA), que pretende revogar o artigo 1º da Lei 4.178/62, que determina que estabelecimentos de crédito não funcionem aos sábados. Na justificativa do projeto, o senador inclusive cita a abertura da Caixa aos sábados, para saques do FGTS, como exemplo de ´êxito`. Hoje, todo cuidado é pouco. Por isso, a posição do Sindicato é totalmente contrária a abertura de agências aos sábados”, conclui Dionísio.