Pular para o conteúdo principal
Chapéu
CUT

Repúdio à redução do combate ao trabalho escravo e infantil

Linha fina
Central Única dos Trabalhadores lembra que corte promovido por Temer de 70% do orçamento de combate à prática destina-se a respaldar recentes aprovações da terceirização irrestrita e da “reforma” trabalhista
Imagem Destaque
Foto: MPT

São Paulo - A Central Única dos Trabalhadores (CUT) emitiu nota nesta terça 25 nota oficial repudiando corte do governo Temer nas verbas para fincalização de trabalho escravo e trabalho infantil. Leia abaixo ou no site da própria CUT:

Repudiamos o desmonte da fiscalização sobre trabalho escravo e infantil

A Central Única dos Trabalhadores (CUT-Brasil) vem a público externar seu veemente repúdio ao corte de orçamento destinado à fiscalização do trabalho escravo e do trabalho infantil pelo governo golpista de Temer. O corte é da ordem de 70% do orçamento atual inviabilizando na prática a fiscalização e comprometendo também a fiscalização da Lei de Cotas para pessoas com deficiência. Essa medida configura-se dentre uma série de ações destinadas a respaldar as recentes aprovações da terceirização irrestrita e da “reforma” trabalhista. Ao mesmo tempo, essa medida viola frontalmente a Convenção 81 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

É alarmante o veloz aumento da precarização das condições de trabalho mediante cortes sobre os mecanismos de proteção e promoção do trabalho decente no Brasil. Trata-se de um processo mais geral de desmonte das políticas de Estado no que diz respeito aos direitos duramente conquistados pela classe trabalhadora. Vivemos um retrocesso brutal das políticas de Estado que deveriam assegurar garantias fundamentais previstas na legislação nacional e internacional sobre Direitos Humanos. Não aceitaremos mais esse desmonte!

A LUTA CONTINUA: NENHUM DIREITO A MENOS!

FORA TEMER!

DIRETAS JÁ!

Sergio Nobre
Secretário Geral
                       
Jandyra Uehara Alves
Secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos