Pular para o conteúdo principal
Chapéu
#MenosMetasMaisSaude

Sindicato cobra do Itaú respostas para metas abusivas, assédio moral e sobrecarga

Imagem Destaque
Desenho simboliza trabalhadores do Itaú sobrecarregados e efrentado assédio

Em reunião com o Sindicato, o Itaú se comprometeu a fazer um levantamento e dar retorno para o aumento excessivo das metas, assédio moral, sobrecarga de trabalho e demissões nas agências digitais e em outros departamentos. O encontro entre representantes do banco e dos trabalhadores ocorreu na quinta-feira 14.

Agências Digitais

O Sindicato vem recebendo relatos de bancários das agências digitais apontando aumento excessivo das metas e assédio moral, tanto no segmento Personnalité quanto no Unicalss, resultado de novos projetos, aumento das carteiras de clientes e mudanças de cargos.

Como se não bastasse, os funcionários têm de atender clientes por meio de várias mídias ao mesmo tempo, e fazer uso de headset além do período permitido pela Norma Regulamentadora 17 (seis horas diárias, nelas incluídas as pausas, sem prejuízo da remuneração). A situação tem acarretando em adoecimento, estresse e afastamentos.

Mesa de Negócios Veículos

Funcionários da área de veículos enfrentam sobrecarga de trabalho, assédio moral, demissões e mudanças das metas no meio do mês, problemas que persistem há algum tempo e sem que o banco apresente solução. Este cenário tem resultado em medo e insegurança entre os funcionários.

Crédito imobiliário

As modificações constantes na área, e novos modelos de trabalho com o Full BPO, estão causando sobrecarga e exaustão dos funcionários para atender as necessidades do banco. Sem tempo hábil para cumprir as metas no horário de trabalho, os bancários são obrigado a fazer hora extra.

Os problemas são semelhantes nas três áreas, resultado de um novo modelo de trabalho que o Itaú vem implementando.

“Projetos e reestruturações são constantes nos locais se trabalho, gerando insegurança, adoecimentos, afastamentos e pedidos de demissão, porque os funcionários não aguentam a pressão, a sobrecarga de trabalho e a cobrança exacerbada por metas.”

Sergio Francisco, dirigente sindical e bancário do Itaú

Em junho de 2017 o Itaú tinha 847 clientes para cada empregado. Em junho de 2021 essa relação subiu para 1.001 clientes para cada empregado, um aumento de 18,2%. Por outro lado, o banco tinha 81.252 funcionários em junho de 2017 e 85.611 quatro anos depois, aumento de 5,4%, segundo as demonstrações financeiras do banco. Os dados reforçam a sobrecarga de trabalho no banco que lucrou R$ 18,5 bilhões só em 2020.

“Esperamos que o banco traga soluções imediatas e que os problemas sejam resolvidos o mais breve possível. Não somos contra mudanças, desde que sejam realizadas com responsabilidade.”

Sergio Francisco, dirigente sindical e bancário do Itaú

Os trabalhadores devem procurar o Sindicato caso os problemas persistirem. O sigilo é garantido.

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio