Pular para o conteúdo principal

Direção do DPVAT na Caixa cancela férias no FCVS e Sindicato cobra negociação

Imagem Destaque
Ilustração de um calendário, com o logotipo da Caixa

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região recebeu nos últimos dias diversas reclamações de empregados da Caixa, da área de FCVS (Fundo de Compensação de Variações Salariais), de que o banco cancelou de forma unilateral a escala de férias destes trabalhadores, por conta do trabalho destacado na CEVAT, a Centralizadora Nacional do DPVAT.

O cancelamento unilateral da escala de férias fere o Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados da Caixa, uma vez que o mesmo autoriza e determina que a escala de férias seja definida em comum acordo entre gestão e empregados.

“Tão logo fomos informados do cancelamento da escala de férias, nos reunimos com os empregados e encaminhamos essa questão para o banco, cobrando solução urgente, uma vez que já estamos entrando em dezembro e os empregados precisam de uma definição em relação às férias para seus compromisso de final de ano”, diz o dirigente do Sindicato, da Apcef/SP e empregado da Caixa, Renato Perez

Por sua vez, o banco retornou a cobrança do Sindicato afirmando que as férias compulsórias serão cumpridas e se comprometeu a reconsiderar o cancelamento da escala de férias daqueles empregados que já tinham viagem marcada. Em caso de qualquer problema, o empregado deve entrar em contato com o Sindicato.

“Nós então reforçamos a posição do Sindicato de que esta situação é absurda, uma arbitrariedade, uma vez que a negociação da escala de férias está prevista em acordo e a Caixa cancelou unilateralmente. Ponderamos ainda que o mínimo que a Caixa deveria fazer neste momento é oferecer uma opção para os empregados, no mesmo período em que eles solicitaram as férias”, enfatiza Renato.

Diante das cobranças reforçadas pelo Sindicato, os representantes da Caixa ficaram de dar um novo retorno na manhã desta sexta-feira 26.

Desmonte

De acordo com o dirigente do Sindicato e da Apcef/SP, o trabalho destacado no CVAT pelos empregados do FCVS é mais um indício do desmonte promovido pelo governo federal e pela gestão Pedro Guimarães, que afeta todas as áreas do banco público.

“As operações do FCVS são grandes garantias de operações imobiliárias, que a Caixa não recebe mais diretamente do Tesouro anualmente, mas somente por produção. Com o deslocamento da equipe da FCVS para a operação do DPVAT, o banco deixou de fazer a operação do FCVS. Mais uma prova do processo de desmonte colocado em prática por Pedro Guimarães”, conclui Renato.

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio