Pular para o conteúdo principal

Por mais empregados e respeito, Sindicato e Apcef/SP protestam em agências da zona leste

Linha fina
Diante de uma situação caótica nas unidades, o que já não é mais novidade, dirigentes do Sindicato e Apcef/SP dialogaram com empregados e população para mostrar a urgência de mais contratações e fortalecimento do papel social do banco público
Imagem Destaque
Foto: Seeb/SP

A situação nas agências da Caixa segue caótica: filas enormes de clientes ao lado de fora, quadro de empregados reduzido e trabalhadores, que apesar de lutarem contra todas as condições adversas para bem atender a população, estão extremamente sobrecarregados e cansados. Diante desta situação, que é responsabilidade do governo federal e da direção do banco público, o Sindicato realizou protesto em agências da zona leste da capital paulista. 

“A situação que encontramos foi, mais uma vez, caótica. Com longas filas e empregados se esforçando além das próprias forças para atender a população, mas extremamente sobrecarregados e cansados. Isso é consequência direta da desorganização do governo federal e do número reduzido de trabalhadores”, enfatiza a dirigente do Sindicato e empregada da Caixa, Tamara Siqueira.

A Caixa - que já chegou a ter 101 mil empregados em 2014, atualmente não chega a ter 85 mil. Além disso, a direção do banco, alinhada com o governo federal, desliga compulsoriamente empregados aposentados e realiza sucessivos PDVs (Planos de Demissão Voluntária), o que só agrava a situação.

“É inadmissível que a Caixa, ao invés de contratar, reduza ainda mais seu quadro de funcionários. São os empregados da Caixa os responsáveis pelo pagamento do auxílio-emergencial, tão importante neste momento de pandemia, dentre outros benefícios sociais. São os empregados da Caixa que estão na linha de frente, arriscando a própria saúde. Estes protestos tem o objetivo também de dialogar com a população, mostrar que defender mais contratações na Caixa, defender os direitos dos empregados, defender o fortalecimento da Caixa 100% Pública, combatendo a estratégia do governo de fatiar e vender o banco aos pedaços, é defender também um bom atendimento para a população, é defender que a Caixa exerça cada vez mais o seu importante papel social para o desenvolvimento do país”, conclui Tamara. 

Confira abaixo fotos da situação das agências da Caixa na zona leste de São Paulo: