Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Solidariedade

Entidades sindicais internacionais manifestam apoio a Lula e à democracia

Linha fina
UNI Global Union, Communications Workers of America e Service Employees International Union demonstraram preocupação com condenação do ex-presidente
Imagem Destaque
Reprodução

São Paulo – Entidades sindicais internacionais manifestaram, por meio de nota, apoio à democracia no Brasil e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

A UNI Global Union, que representa bancários e financiários do mundo todo, enviou carta assinada pelo secretário-geral Philip Jennings e endereçada ao presidente ilegítimo Michel Temer (com cópia para o presidente do Senado, presidenta do STF, presidenta do Conselho Nacional do Ministério Público e para os três desembargadores que condenaram Lula). Jennings lembra que “o direito a um julgamento justo é um dos alicerces de uma sociedade democrática” e acrescenta que “o Estado brasileiro viola os direitos humanos ao se envolver em uma investigação criminal politicamente motivada contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”. Para a UNI Global, o objetivo é impedir que Lula participe das eleições presidenciais este ano, pois “a acusação não conseguiu produzir qualquer prova de corrupção” contra o ex-presidente.

A entidade pede ao governo brasileiro que respeite o Direito Internacional e proteja os direitos humanos, para que não sejam causados “danos irreparáveis ​​à democracia no Brasil”.

A Service Employees International Union (SEIU), que representa 2,2 milhões de pessoas nos EUA, Canadá e Porto Rico, diz estar unida ao ex-presidente e ao Brasil neste momento. Nota assinada pela presidenta internacional da entidade, Mary Kay Henry, acrescenta que Lula “é uma inspiração para milhões de trabalhadores em todo o mundo” e que o ex-presidente “mostrou que é possível construir uma sociedade que valorize todos, especialmente aqueles que menos têm”.

Já para a Communications Workers of America (CWA), que representa 700 mil trabalhadores e trabalhadoras das Comunicações nos EUA, Canadá e Porto Rico, “o ataque politico” contra Lula, sua família e o Partido dos Trabalhadores (PT) é um “ataque contra todos nós que acreditamos em um mundo mais justo”. “Eles querem impedir que o Brasil continue a avançar como um país de todos os brasileiros”, diz um trecho da nota, assinada pelo presidente da CWA, Christopher M. Shelton.

 

 
Arquivos anexos
Anexo Size
Carta SEIU (259.5 KB) 259.5 KB
Carta CWA (24.33 KB) 24.33 KB
Carta UNI Global Union (22.73 KB) 22.73 KB