Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Bradesco

Sindicato reintegra bancário demitido pelo Bradesco

Reversão só foi possível porque após a demissão o trabalhador procurou o Sindicato, que atuou junto ao banco para cancelar o desligamento

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 21/01/2020 16:02 / Atualizado em 21/01/2020 16:05

Bancário Celso da Silva Carneiro (à direita) ao lado do dirigente Valdemar de Souza

Foto: Seeb-SP

Após atuação do Sindicato, o Bradesco recuou na demissão de um bancário e o reintegrou no seu quadro de empregados. Funcionário do departamento DITI, da Cidade de Deus, Celso da Silva Carneiro foi demitido no dia 12 de novembro. 

Assine o boletim eletrônico com notícias específicas do Bradesco
Sindicalize-se e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

Ele havia conquistado o 14º lugar na eleição de 2018 para a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) da Cidade de Deus. Portanto não tinha direito a estabilidade no emprego, que é garantida apenas até o décimo primeiro colocado. 

Mas dois titulares da Cipa e outro trabalhador que tinha ficado em 13º na eleição acabaram fazendo a adesão ao último Plano de Demissão Voluntária promovido pelo banco. Portanto, Celso acabou se tornando o último suplente e, com isso, garantiu a estabilidade.

“Mas só conseguimos esse cancelamento porque o bancário procurou o Sindicato. E, com a nossa atuação junto ao banco, conseguimos reverter a demissão”, conta o dirigente sindical e bancário do Bradesco Valdemar de Souza, o Piu Piu.

“É importante que o bancário procure sempre o Sindicato, que é o instrumento mais seguro de defesa dos direitos dos trabalhadores”, orienta Valdemar. 

O trabalhador deve procurar o Sindicato através da Central de Atendimento (11 3188-5200) ou diretamente na sede da entidade (Rua São Bento, 413, Centro).

 

 

Valdemar lembra que na última eleição para a Cipa, realizada em dezembro de 2019, dois funcionários do Departamento DRC que não ficaram entre os 11 com direito à estabilidade foram demitidos também, o que está preocupando os demais que não se elegeram. 

“Esperamos que as demissões de bancários que disputaram a eleição da Cipa não seja uma orientação do RH e vamos ficar atentos a isso”, afirma o dirigente.



Voltar para o topo