Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Bancários na luta

Mobilização chama para ato nacional no dia 18

Sindicato percorrerá locais de trabalho para consultar a categoria sobre participação no Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos, Democracia e Contra o Desmonte dos Bancos Públicos, que ocorrerá na quarta-feira 18

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 09/03/2020 13:06 / Atualizado em 17/03/2020 15:55

Arte: Fabiana Tamashiro/Seeb-SP

O próximo dia 18 será marcado pela realização de protestos, em todo país. Será o Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos, Democracia e Contra o Desmonte dos Bancos Públicos, chamado pela CUT e demais centrais sindicais e pelos movimentos sociais.

Diretamente afetados pelo projeto governamental privatista de desmonte do Estado, os bancários serão consultados sobre a participação nos atos. O Sindicato percorrerá locais de trabalho da sua base, a partir desta terça-feira 10, para realizar a consulta e mobilizar os trabalhadores.

“Temos de estar nas ruas para denunciar o desmonte do Estado, que afeta bancários e toda a população. O governo prometeu crescimento e empregos com a reforma da Previdência. Os empregos não vieram e o pibinho de 2019 revelou a ineficácia das maldades do governo. Agora, prometem crescimento com privatizações e mais retirada de direitos. Não acreditamos em mais uma falsa promessa e vamos defender nossos direitos e o patrimônio público”, diz a presidenta do Sindicato, Ivone Silva.

> Ivone Silva: Dia 18 vai ter luta!

Bancos públicos

Os trabalhadores do Banco do Brasil e da Caixa são especialmente afetados por esse processo de desmonte do Estado. Os dois bancos públicos passam por processos arbitrários de reestruturação, que atacam direitos dos bancários e a função social dessas instituições. Na Caixa, a reestruturação prevê descomissionamentos sumários e transferência arbitrária de empregados. Já no BB, as medidas reduzem a remuneração, extinguem cargos e criam outros, alterando o plano de carreira, e podem trazer prejuízos para a PLR.

Nos dois bancos, que possuem papel fundamental para o país, o objetivo é reduzir a importância das instituições e prepará-las para a privatização.

 

 

“Os ataques aos nossos direitos e o desmonte do BB fazem parte de um processo maior: a política de desmonte do Estado para desobrigá-lo de oferecer serviços públicos à população. As lutas em defesa dos nossos direitos, do papel social do BB, dos serviços públicos e da soberania são urgentes e indissociáveis. É fundamental que estejamos todos unidos e mobilizados no dia 18”, conclama o diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga.

“É evidente que a Caixa está sendo privatizada aos pedaços e sua função social está sendo atacada. Os ataques aos nossos direitos e a Caixa 100% Pública são parte do projeto do governo, neoliberal e privatista, de desmonte do Estado. Mais do que nunca, esse é o momento de irmos às ruas defender nossos direitos, a Caixa 100% Pública, o serviço público e a soberania nacional.”, reforça o também diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Dionísio Reis.



Voltar para o topo