Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Coronavírus

Santander: home office a gestantes e trabalhadores em grupos de risco

Linha fina
Sindicato procurou banco para pedir providências e foi informado da medida, que vale também para gestantes e entrou em vigor na segunda 16; confira outras providências adotadas pelo Santander
Imagem Destaque

Tempo Real: Acompanhe as notícias sobre o Coronavírus nos bancos

O Sindicato dos Bancários de São Paulo procurou o Santander para cobrar medidas de proteção aos trabalhadores em relação à pandemia do coronavírus. O banco informou que, a partir desta segunda-feira 16, permitirá home office para bancárias gestantes e funcionários que estão no grupo de risco ao vírus, como aqueles que têm doenças crônicas – diabéticos, hipertensos, cardíacos, asmáticos e outros com problemas respiratório agudos – e os acima de 60 anos.

“Muitos bancários estão apreensivos e têm nos procurado. Conversamos com os representantes do banco e eles nos informaram da medida. O Santander também nos informou que mantém um comitê que se reúne diariamente para discutir medidas de prevenção. O home office para grupos de risco é uma medida que saiu desse comitê”, informa Rita Berlofa, diretora do Sindicato e bancária do Santander.

Ao procurar o banco, o Sindicato também manifestou sua preocupação com os trabalhadores alocados em PABs situados em hospitais e aeroportos. O Santander se comprometeu a discutir esse problema com o comitê, que emite frequentemente comunicados sobre medidas de prevenção em relação ao vírus.

Confira abaixo as orientações e medidas anunciadas pelo presidente do Santander no Brasil, Sérgio Rial.

- Adotar o cumprimento Santander (com a mão no peito)

- Dentro do possível, será adotada a rotina de home office em algumas áreas.

- Viagens internacionais a trabalho estão proibidas.

- Viagens particulares devem ser reportadas e estão sujeitas à quarentena, portanto, são desaconselhadas.

- Nas agências, manter distância social e falar sobre o cumprimento Santander (com a mão no peito).

- Evitar visitas comerciais, explicando a razão para isso e utilizar ferramentas como Facetime.

- Lavar as mãos ao manusear itens como dinheiro e boletos.

- Nas agências mais expostas, com grande fluxo de beneficiários do INSS, pensar em formas de evitar aglomerações como a entrada escalonada de 10 a 15 pessoas, dependendo da capacidade (alinhar com o Regional).

- Funcionários com mais de 60 anos, grávidas ou com doenças crônicas podem pedir para não estar presencialmente no trabalho, se assim desejarem.

- Se o funcionário tiver contato com alguém que testou positivo para a doença, ele deve informar ao banco e impor para si uma quarentena de uma semana antes de fazer o teste.

- Em relação aos clientes, será prorrogado em até 60 dias o vencimento de créditos, tanto de PF como de PJ, desde que o cliente assim solicite.