Projeto-piloto reduz assaltos a bancos em 30%

Conquista da Campanha Nacional 2012, programa está implantando em agências de Pernambuco equipamentos como biombos e divisórias nos caixas eletrônicos e portas com detector de metais

  • Publicado em 24/04/2014 13:20

São Paulo – O projeto-piloto de segurança bancária já reduziu em 30% o número de assaltos a bancos em Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. Desde agosto do ano passado, quando o programa começou a ser implantado, as 209 agências das três cidades pernambucanas sofreram sete assaltos, contra dez no mesmo período do ano anterior.
Este ano ocorreram até agora dois ataques, segundo levantamento do Sindicato dos Bancários de Pernambuco e da federação dos bancos (Fenaban). No mesmo período do ano passado, foram três assaltos.

Na quarta-feira 23, o movimento sindical voltou a se reunir com a Fenaban. Foi a quinta reunião do grupo de acompanhamento do projeto-piloto no Recife, que nos encontros anteriores já havia constatado redução na criminalidade.

Os dados sobre o crime da “saidinha de banco” não puderam ser avaliados porque a Secretaria de Defesa Social (SDS) do governo de Pernambuco não compareceu. Também não participaram representantes das três prefeituras e do Ministério Público.

Conquista dos bancários – O projeto-piloto foi conquistado pelos bancários na Campanha Nacional de 2012. Implantado em agosto de 2013, o acordo garantiu a instalação de porta giratória com detector de metais, câmeras internas e externas, biombos em frente aos caixas, guarda-volumes e cofres com retardo, além da presença de vigilantes armados e com coletes a prova de balas. A duração do projeto-piloto é de um ano.

Os representantes dos bancários voltaram a cobrar melhorias nos biombos instalados pelo Itaú, já que muitos não são opacos e por isso não garantem privacidade aos clientes na hora de sacar dinheiro nos caixas.

Câmeras de segurança – O movimento sindical cobrou da Fenaban que os bancos melhorem a qualidade das imagens das câmeras de segurança. A queixa foi feita por delegados da polícia, na última reunião, dizendo que muitas vezes não conseguem identificar os suspeitos no vídeo. Numa das ocorrências, o vigilante de uma agência não se reconheceu nas imagens.

Os representantes dos bancos comprometeram-se a verificar as unidades com problemas. Além da boa resolução das imagens, os bancários defenderam o monitoramento em tempo real fora do local controlado, como forma de inibir assaltos e auxiliar na identificação de suspeitos.

Vidros blindados – Outra cobrança feita pelos representantes dos bancários foi a instalação de vidros blindados nas fachadas das agências, medida não prevista no projeto-piloto. Num dos assaltos registrados este ano no Recife, os ladrões entraram na agência quebrando os vidros com uma marreta.

A Fenaban negou a implantação de vidros blindados, alegando ter pareceres técnicos que mostram a ineficácia do equipamento. Os bancários rebateram, dizendo que as atuais fachadas são vulneráveis e facilitam o ataque dos bandidos.

A reunião seguinte do grupo de acompanhamento está agendada para 26 de maio, às 13h, no Recife.


Redação, com informações da Contraf-CUT – 24/4/2014

Tags: 


Voltar para o topo