Pular para o conteúdo principal
Chapéu
MST

Feira da reforma agrária é também festival de cultura

Linha fina
Além de oferecer 250 toneladas de produção vinda de todos os cantos do país, evento organizado pelo MST contará ainda com a presença de personalidades renomadas como Pepe Mujica, João Pedro Stédile, Letícia Sabatella, Emicida, Tulipa Ruiz, Tico Santa Cruz, Chico César, dentre outros
Imagem Destaque
Arte: MST

São Paulo - A diversidade da produção de alimentos saudáveis de acampamentos e assentamentos chegarão em toneladas no Parque da Água Branca, entre 4 e 7 de maio, na 2ª Feira Nacional da Reforma Agrária. Para acompanhar essa fartura vinda das roças, a celebração tem que ser à altura: muita música, rodas de capoeira, feira literária, culinária típica das diferentes regiões, teatro, cirandas infantis.

A feira vai reunir mais de 600 produtores de todas as regiões e estados do país ligados ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). De acordo com movimento, serão comercializadas ao longo dos quatro dias 250 toneladas de produtos produzidos nos assentamentos. O Parque da Água Branca fica na Avenida Francisco Matarazzo, 455, Água Branca, zona oeste de São Paulo.

Além dos produtos, o evento vai receber nomes já consagrados da arte e política, como o ex-presidente do Uruguai José Pepe Mujica, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, Emicida, Tulipa Ruiz, Tico Santa Cruz, Chico César, Bela Gil, Letícia Sabatella, dentre outros nomes de peso. Tudo de graça.

Os palcos da Arena e Culinária da Terra também darão espaço a novos expoentes da música popular e independente, das batucadas do samba e do coco à moda de viola, tão popular entre os trabalhadores rurais.

“Queremos tornar todo esse espaço colorido, poético, vivo, belo, para trazer à tona essa necessidade de humanização. A cultura popular é ao mesmo tempo a arena e a ferramenta do diálogo entre o campo e a cidade. A feira se torna um grande encontro, um espaço de trocas culturais que mistura arte e política para celebrar a vida, a luta e a diversidade do povo brasileiro", reflete Carla Loop, da coordenação do MST.

Tulipa Ruiz, vencedora do Grammy Latino em 2015 pelo melhor disco contemporâneo com Dancê, falou sobre a apresentação para o Brasil de Fato: "Eu vou participar com da segunda feira da reforma agrária com minha produção mais orgânica, meu espaço de luta e resistência, minha maior trincheira, que é o meu show". A cantora nasceu na cidade de Santos, mas é mineira de criação, e se apresenta no sábado 6.

"Eu não quero mais ser enganada pela indústria, nem consumir veneno, eu quero entender de onde vem meu alimento. E como consumidora e cidadã, eu tenho o direito de optar por uma alimentação que não agrida nem meu organismo e nem a terra de onde ele veio", acrescenta Tulipa Ruiz.

O cantor carioca Tico Santa Cruz, vocalista da banda Detonautas Roque Clube, se apresenta na sexta 5. "Quando você mexe com a emoção de uma pessoa e tem em pauta uma questão social, política, de uma reforma agrária, ou de qualquer outra questão que a gente aborda, você acaba tocando as pessoas e trazendo elas para o lado dessa luta".

Pepe Mujica - Além das programações de shows, haverá, ainda, a Feira Literária, espaço de publicações em poesia e prosa, mas que traz também livros de cunho político-filosófico. Culinária da Terra, por sua vez, é uma praça de alimentação no meio da Feira com quitutes de todas as regiões: pato no tucupi, acarajé, arroz carreteiro, galinha com pequi e outras delícias.

A programação político-cultural conta também com seminários como Alimentação Saudável – um direito de todos e todas recebe as palestrantes Bela Gil, Letícia Sabatella, Alexandre Padilha, Pepe Mujica e o coordenador do MST, João Pedro Stédile.