Pular para o conteúdo principal

Empregados da Caixa relatam clima de terror no teletrabalho em algumas áreas

Imagem Destaque

O Sindicato e a Apcef/SP estiveram reunidos na sexta-feira 14, de maneira virtual, com empregados da Centralizadora Nacional de Garantias Habitacionais (Cehag) e do Fundo de Compensação de Variações Salariais (FCVS) da Caixa, principalmente os que estão trabalhando com o DPVAT, sob pressão da Centralizadora Nacional do DPVAT (Cevat). A reunião aconteceu após denúncias anônimas às duas entidades de um verdadeiro clima de terror em ambas as áreas (que, por ora, estão em teletrabalho), com pressão excessiva por meta e cobranças constantes.

Valter San Martin, dirigente da Apcef/SP e empregado aposentado da Caixa, fala de algumas modalidades de assédio praticadas por gestores da Caixa:

“Alguns dos relatos nos chocaram bastante, pois os empregados citaram estarem sendo tratados como gado. Outros ouvidos por nós, muito emocionados, choraram e disseram estar preocupados com suas vidas”, enfatiza.

“Observamos falta de respeito, desconsideração com a jornada dos bancários, clima de tensão e erro no tempo de análise dos processos. Além disso, há relatos de horas extras não pagas, meta excessiva de DPVAT e cobrança de 30 em 30 minutos, um verdadeiro clima de terror que está adoecendo os trabalhadores – há casos declarados de depressão, ansiedade, assim como de taquicardia entre eles”, acrescenta.

Para o dirigente, este tipo de postura dos gestores é inaceitável. “Acionamos a matriz do banco cobrando respeito aos trabalhadores e lembrando que o trabalho deve levar em consideração as particularidades dos empregados. Além dos problemas de sistema e de conexão que todos estão tendo, 12 processos por dia sendo cobrados é um abuso!”, finaliza o dirigente.

O Sindicato, junto com a Apcef/SP, está encaminhando cobrança para gestão da Caixa para que se cesse o abuso. A Caixa ficou de fazer com a nova gestão da Cevat adequações até o dia 28 de maio, quando as entidades representativas poderão ver o que foi feito e qual o tratamento estará sendo dado aos empregados.

Bancários estão de olho!

Procure o Sindicato (saiba como abaixo) e relate os detalhes do que ocorre com você no seu teletrabalho. O sigilo será garantido.

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio