Pular para o conteúdo principal

Nas redes: sexta é dia de cobrar vacina já, auxílio emergencial de R$ 600 e fora Bolsonaro!

Imagem Destaque

O Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região estará mobilizado na sexta-feira 18 para cobrar vacina já, com a inclusão da categoria em grupo prioritário, auxílio emergencial de R$ 600 e fora, Bolsonaro. A entidade promoverá um tuitaço com a hashtag #VacinaJá a partir das 9h. Participe!

> Vacinação contra Covid-19: saiba quais são as ações do Sindicato

A atividade de sexta é um esquenta para as mobilizações que acontecerão no sábado 19.

“É urgente responsabilizar as autoridades, especialmente o governo federal - com sua postura omissa, negacionista e irresponsável na gestão da pandemia -, pela morte de quase meio milhão de brasileiros. A mobilização do Sindicato será concentrada nas redes, garantindo que todas as medidas de prevenção à Covid-19 sejam respeitadas”, enfatiza a secretária-geral do Sindicato, Neiva Ribeiro.

“Defendemos vacina já para todos e o auxílio emergencial de R$ 600. Também pautaremos na nossa mobilização a reivindicação pela inclusão da categoria bancária em grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. Os bancários nunca deixaram de atender a população. É urgente e justo que sejam vacinados, o que protegeria não só os trabalhadores, mas também reduziria a circulação do vírus, beneficiando a população em geral”, acrescenta Neiva.

> Categoria bancária deve pressionar vereadores em São Paulo para conseguir vacina

Neiva lembra que até o momento apenas 11,26% da população brasileira está vacinada com as duas doses. “Temos que nos manter atentos até que todos sejam vacinados. Não podemos vacilar com a proteção. Até que 70% da população esteja vacinada, e o país registre uma queda muito significativa no número de casos, devemos manter medidas como o uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social. Não é a hora de abaixar a guarda”, oriente a secretária-geral do Sindicato.

A pressão agora é no Senado

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira 17 o Projeto de Lei 1011/20, que estabelece prioridade para bancários e outros grupos dentro do plano de vacinação contra a Covid-19. O texto principal foi aprovado em março, mas estava pendente a análise de destaques. A proposta segue agora para o Senado.

“Essa foi uma importante vitória da categoria e de suas entidades representativas. Agora, a nossa pressão de se concentrar nos senadores, especialmente no presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para que coloque em pauta o projeto e que o mesmo seja aprovado com a maior celeridade”

Neiva Ribeiro

> CLIQUE AQUI e pressione os senadores a aprovarem o PL 1011/20, que incluí os bancários em grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19

Desligamentos por morte

A média de desligamentos por morte na categoria bancária saltou de 18,3 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2020 para 50,6 óbitos/mês no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 176,4%. Os dados são de levantamento feito pelo Dieese a partir do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que não especifica as causas das mortes. Mesmo assim, é possível deduzir que esse aumento está relacionado com os óbitos de bancários por Covid-19.

> Desligamentos por morte na categoria reforçam vacina já para bancários

O levantamento do Dieese aponta também que, entre abril de 2020 a março de 2021, ocorreu o falecimento de 418 trabalhadores da categoria, sendo que 69,8% deles de três ocupações que, em sua maioria, tinham de trabalhar presencialmente: escriturário, caixa e gerente de conta.