Pular para o conteúdo principal

Segunda 4 é Dia Nacional de Luta pela Valorização dos Trabalhadores do Itaú

Imagem Destaque
Fotografia de uma bancária em desespero, acompanhada do slogan "Isso é muito Itaú"

“Isso é muito Itaú”. Este é um dos mais recentes slogans que aparecem nas publicidades do Itaú, sempre valorizando o dinamismo e a modernidade do banco. Entretanto, para os bancários, a frase “isso é muito Itaú” não tem um significado positivo. De acordo com inúmeras e recorrentes denúncias que chegam ao Sindicato, ser “muito Itaú” significa centenas de demissões, metas abusivas, adoecimento dos trabalhadores, sobrecarga de trabalho, desvios de função, fechamento de agências e assédio moral.  

Para denunciar esta situação e cobrar do banco para que reveja suas práticas de gestão, o movimento sindical promove na próxima segunda-feira 4 um Dia Nacional de Luta pela Valorização dos Trabalhadores do Itaú. 

“Em plena pandemia, o Itaú implementou restruturações em agência e departamentos, sendo que as maiores foram o programa de remuneração Gera e o novo modelo de agência, chamado Itaú 2030, resultando em fechamentos de unidades, demissões, adoecimento, sobrecarga, desvios de função e assédio moral. O Sindicato cobrou do banco diversas vezes o adiamento destes projetos e a suspensão das metas durante a pandemia. Porém, o Itaú não foi sensível aos apelos dos bancários. Colocar o lucro acima de tudo. Isso sim ‘é muito Itaú’”

Sergio Francisco, bancário do Itaú e dirigente do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

Entre as ações previstas para o Dia Nacional de Luta está um tuitaço, a partir das 10h de segunda feira 4, com a hashtag #QueVergonhaItaú. “É preciso mostrar para a sociedade brasileira que a realidade dos trabalhadores do Itaú, responsáveis pela lucratividade cada vez maior do banco, está muito longe daquela que é apresentada nas publicidades”, diz Sérgio. 

No primeiro semestre de 2021, o Itaú Unibanco obteve lucro líquido recorrente gerencial, que exclui efeitos extraordinários, de R$ 12,941 bilhões, alta de 59,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, em junho de 2017, a holding Itaú apresentava uma relação de 847 clientes para cada empregado. Quatro anos depois, em junho de 2021, essa relação subiu para 1.001 clientes para cada empregado, o que deixa explícito a sobrecarga de trabalho a qual os bancários estão submetidos. 

Retorno seguro

O Sindicato está negociando com o Itaú o retorno seguro de trabalhadores em home office ao trabalho presencial. Para isso, entregou à direção do banco uma pauta de reivindicações cobrando protocolos de prevenção e segurança, conforme preconizam a OMS (Organização Mundial de Saúde) e o Ministério da Saúde. 

“Reforçamos que o retorno somente pode ocorrer após o trabalhador estar completamente imunizado há pelo menos 14 dias. É de responsabilidade do banco o fornecimento de equipamentos de proteção individual, assim como a sanitização de agências e departamentos. O Sindicato irá acompanhar de perto este retorno, e qualquer problema deve ser denunciado. O sigilo é garantido”, orienta o dirigente do Sindicato. 

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio