Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Assembleia dia 27

Um Sindicato forte, que lute por seus direitos, precisa da sua contribuição

Linha fina
Vitória contra reforma da Previdência, engavetada após greve do dia 19, traduz importância de movimento sindical forte e atuante na vida dos trabalhadores; participe da assembleia do dia 27 e defina seu futuro e o do Sindicato
Imagem Destaque
Arte: Marcio Baraldi

A força do movimento sindical e dos trabalhadores garantiu a suspensão da reforma que queria acabar com a Previdência pública. Na segunda-feira 19, em todo o Brasil, as mais diversas categorias profissionais cruzaram os braços contra as ameaças ao direito à aposentadoria e saíram vitoriosas. Depois de tantas paralisações, passeatas e a pressão feita sobre os parlamentares, o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, informou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 não será mais votada em 2018. A decisão também está atrelada à intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, prevista até dezembro, suspendendo a tramitação de todas as PECs.

“O governo percebeu que não conseguiria votos para a aprovação e essa é uma grande vitória do nosso Sindicato e outras entidades de defesa dos direitos dos trabalhadores”, afirma a presidenta do Sindicato, Ivone Silva. “Isso demonstra a importância que entidades sindicais sérias e atuantes têm para a classe trabalhadora. Já vivemos outros trágicos períodos na história do nosso país e somente nossa organização conseguiu garantir que a categoria continuasse firme e forte. Nossa luta tem assegurado, por décadas, uma ampla Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) válida em todo o Brasil e com amplos direitos para todos os bancários.”

Grave ameaça

Toda essa luta, no entanto, está sob forte ameaça. Diante do grave quadro imposto pelas alterações na legislação trabalhista do governo Temer, o financiamento da estrutura do Sindicato e toda a luta dos bancários estão comprometidos.

Por isso, empregados de bancos públicos e privados, de São Paulo, Osasco e região, estão sendo convocados para uma grande assembleia no dia 27 (o edital da assembleia foi publicado na Folha Bancária 6.133, confira aqui). O objetivo é definir com a categoria as formas de financiamento da entidade, para a manutenção das campanhas salariais, da luta por direitos e contra o desrespeito dos bancos à CCT.

> Sindicatos e bancários: uma história de sucesso!

“Como alertávamos, tão logo a reforma passou pelo Congresso Nacional, os bancos abriram a caixa de maldades e já começaram a alterar férias e datas de pagamento unilateralmente, desrespeitar o direito à homologação no Sindicato que fiscaliza se a rescisão está correta e orienta sobre os direitos na hora da dispensa. Só não fizeram mais porque nossa Convenção Coletiva de Trabalho, válida até 31 de agosto de 2018, não permite. Mas, e depois, como será? Precisamos da força e da participação de todos os trabalhadores para continuar fazendo a luta que o Sindicato foi capaz de promover e levou a tantas conquistas nas últimas décadas”, ressalta Ivone (veja algumas dessas conquistas abaixo).

SINDICATO E BANCÁRIOS JUNTOS PODEM MAIS: FORTALEÇA A LUTA!