Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Dia do Trabalhador

1º de Maio será virtual, por saúde, emprego, renda e direitos

Devido à pandemia de coronavírus, mobilização será online, a partir das 11h30, com participação de artistas e políticos, em defesa da vida e dos direitos sociais e trabalhistas

  • Redação Spbancarios, com informações da CUT e Rede Brasil Atual
  • Publicado em 29/04/2020 15:31 / Atualizado em 08/05/2020 16:50

Cartaz do evento deste ano, que pela primeira vez será virtual

Imagem: Reprodução

De forma inédita, devido à pandemia do coronavírus, a comemoração pelo 1º de Maio este ano será pelas redes sociais. Organizada pela CUT, demais centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, a mobilização pelo Dia Internacional do Trabalhador será das 11h00 às 17h30, com a participação de diversos artistas, políticos, ativistas e sindicalistas. Será por saúde, empregos, salários, direitos sociais e trabalhistas, e também em defesa da democracia e pela reunião de uma frente ampla pelo “Fora, Bolsonaro!”.

Vocë pode assistir agora à live do 1º de Maio na página da CUT no Facebook: https://bit.ly/2Yhrwij e ainda pela TVT: youtube.com/redetvt

“Ficar em casa e evitar aglomerações é hoje uma questão de saúde pública e de solidariedade entre as pessoas”, diz a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ivone Silva. “Por isso no mundo todo os trabalhadores estarão mobilizados pela internet, e aqui no Brasil estaremos unidos em volta da pauta da classe trabalhadora, por nossos empregos e direitos, que estão sendo atacados, por nossas vidas e saúde que estão ameaçadas, e também por um projeto de país mais justo, inclusivo e solidário, que passa por consolidarmos uma grande frente contra este governo que, diante de uma pandemia que está causando milhares de mortes no país e no mundo, ataca ainda mais os direitos dos trabalhadores, enquanto protege grandes empresários e os bancos, e defende de forma irresponsável e criminosa o fim do isolamento social”, acrescenta a dirigente.

Coronavírus: taxar grandes fortunas é o caminho
Campanha #TaxarFortunas quer reforçar combate ao coronavírus

Ivone cita as Medidas Provisórias 927 e 936 editadas pelo governo Bolsonaro que, ao invés de protegeremos trabalhadores diante da crise provocada pela covid-19, determinaram redução de salários e suspensão de direitos. “Por outro lado, o governo federal liberou R$ 1,2 trilhão aos bancos, que não foram revertidos em crédito a juros mais baixos para a população, e recentemente reduziu a tributação sobre o lucro dos bancos de 20% para 15%, o que vai se reverter em prejuízo para a Previdência. Ou seja, é um governo que, além de não tomar as medidas indicadas pela OMS para proteger a vida das pessoas, ainda coloca o peso da crise nas costas dos trabalhadores. Por isso, convocamos bancárias e bancários, outras categorias e todos os cidadãos a se juntarem nesse grande ato virtual”, convoca Ivone.

Em meio à pandemia, governo reduz tributação sobre bancos
Ivone Silva: a conta da crise nas costas da classe trabalhadora
MP 927 coloca o ônus da pandemia nas costas do trabalhador

Programação

Cerca de 30 artistas já confirmaram “presença”, entre eles Chico César, Fernanda Takai, Francis e Olívia Hime, Leci Brandão, Marcelo Jeneci, Odair José, Otto, Paulo Miklos, Toninho Geraes e Zélia Duncan, que farão lives ou exibirão vídeos gravados. Também falarão atores como Fábio Assunção, Gregorio Duvivier e Osmar Prado.

Estão programados ainda depoimentos de representantes de organismos internacionais, como Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização Internacional do Trabalho (OIT), que colocarão em evidência a crise sanitária e questões trabalhistas.

 

 

Também entre os convidados do evento estão os ex-presidentes e adversários políticos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Outros que devem encaminhar mensagens são os ex-candidatos à PresidênciaCiro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). 

Confirmaram “presença” ainda o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e o líder do PV José Luiz Penna. O espectro partidário do ato inclui PT, PCdoB, PSB, PDT, Psol, PSTU, Rede, SD e PV. São aguardadas as confirmações dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

Até o nome do papa Francisco foi incluído. Caso não seja possível obter uma mensagem do Vaticano, a alternativa será um representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O evento, inclusive, deverá começar com a participação de representantes de diversas religiões.

A cobertura do ato virtual também será feita pela TVT, Rádio Brasil Atual e Rede Brasil Atual.



Voltar para o topo