#SantanderSábadoNão

'Educação' financeira deixa agências do Santander às moscas em mais um sábado

Para a direção do banco espanhol, vale tudo para fazer com que bancários trabalhem no seu dia de descanso garantido pela CCT, inclusive chamar a PM para reprimir manifestação do Sindicato!

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 20/05/2019 16:26 / Atualizado em 20/05/2019 17:45

Além de ferir a legislação e a CCT forçando o trabalho aos sábados de bancários "voluntários", Santander quer reprimir o direito de livre manifestação da categoria

Foto: Seeb-SP

A tentativa da direção do Santander de forçar seus funcionários a trabalhar “voluntariamente” nas agências aos sábados tem sido um fiasco maior a cada fim de semana. A justificativa do banco espanhol, que continua a cobrar tarifas e juros abusivos, é oferecer “educação” financeira aos seus clientes. Para isso, mesmo com as agências mais uma vez às moscas neste terceiro sábado de “voluntariado”, o Santander não hesita em adotar o vale-tudo: desde liminar na Justiça para garantir que bancários trabalhem, até chamar a Polícia Militar, no sábado 18, para reprimir manifestações do Sindicato nos locais de trabalho.

>Santander recua, e agências não abrem no sábado 11
>Trabalho aos sábados desrespeita legislação e CCT

Na ocasião, a maior parte das agências da base do Sindicato incluídas no projeto fechou, e o número de “voluntários” foi menor do que o da semana anterior. Além disso, a chuva espantou os já minguados clientes em busca de “educação” financeira.  

“O tempo em São Paulo não impediu que o banco continuasse com sua obsessão em abrir as agências. O que constatamos, nestes três sábados desta proposta no mínimo absurda, são clientes desinteressados, querendo redução de juros e de tarifas e ainda serviços melhores, uma vez que o Santander liderou o último ranking trimestral de reclamações junto ao Banco Central. E também bancários pensando seriamente em fazer um trabalho voluntário de cunho social e junto à população”, ressalta a dirigente sindical Ana Marta Lima, bancária do Santander. “Agência bancária não é local para voluntariado, que é uma atividade que deve agregar, e não afugentar as pessoas!”, acrescenta.

A dirigente ainda manifestou a preocupação que o Sindicato tem de os “voluntários” estarem sendo pressionados a trabalhar aos sábados. “O bancário que for coagido deve procurar o Sindicato e denunciar, sob garantia de anonimato. Durante os dois meses desta proposta inócua e abusiva, vale tudo para o Santander, que agora chama a PM para reprimir o legítimo direito de livre manifestação do Sindicato nos locais de trabalho. Mas deixamos bem claro: trabalho aos sábados, uma conquista histórica dos bancários que data da década de 1960, fere a legislação e a CCT!”, finaliza Ana Marta.

O Sindicato orienta que a categoria fique alerta, pois o que hoje é tratado como “voluntariado” no Santander pode se tornar obrigatório – inclusive com cobrança de metas. Os trabalhadores que se sentirem pressionados devem denunciar à entidade – por meio dos dirigentes nas regionais (veja endereços e telefones aqui), do site, da Central de Atendimento (11 3188-5200) ou pelo WhatsApp  (11 97593-7749) – informando nome, agência e regional. O sigilo é garantido.



Voltar para o topo