Caixa Federal

Sindicato cobra fim do desmonte da Caixa e respeito aos empregados

Sindicato, Contraf-CUT e Fenae se reuniram com representantes da Caixa e protestaram contra problemas decorrentes das mudanças que afetam milhares de bancários e esvaziam áreas estratégicas do banco; representantes do banco faltaram à mediação com Ministério Público do Trabalho

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 28/06/2019 19:16 / Atualizado em 24/07/2019 17:05

Foto: Divulgação

Representantes dos empregados reuniram-se com a direção da Caixa para cobrar a suspensão da reestruturação promovida pelo banco que afeta mais de mil bancários de áreas meio em todo o país.  A medida foi tomada unilateralmente, sem negociação com o movimento sindical, o que fere cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho. 

Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários
Assine o boletim eletrônico com notícias específicas da Caixa

A Caixa alega que não está descumprindo o ACT, porque não considera uma reestruturação. “Na verdade não é uma reestruturação. É pior. É uma desestruturação do banco público, pois a direção está esvaziando áreas estratégicas que envolvem conhecimento, e não está suprindo a falta de empregados das agências”, afirma Dionísio Reis, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa).

Os representantes dos empregados propuseram que antes de promover um processo arbitrário de reestruturação, a Caixa transferência voluntária de trabalhadores para as agências. A direção respondeu que tomará essa medida em uma eventual nova reestruturação.

Na reunião, ocorrida nessa sexta-feira 28, em Brasília, também foram denunciados descomissionamentos resultantes da reestruturação. A Caixa não se comprometeu a resolver de forma geral e nem a suspender a reestruturação, mas se dispôs a ver de forma pontual os descomissionamentos. 

Direção falta à mediação com MPT

Uma mediação com o Ministério Público do Trabalho para buscar a suspenção da reestruturação foi marcada para essa segunda-feira 1º. Mas a Caixa não levou nenhum representante e alegou a necessidade de um prazo maior para o encontro.  “Isso mostra que a direção do banco não tem diposição para negociar”, protesta Dionísio. 

Denuncie abusos e arbitrariedades devido à reestruturação

Os empregados devem denunciar os abusos e arbitrariedades do banco nessa restruturação para que o Sindicato possa cobrar os problemas pontuais além da forma geral que a vem sendo cobrada.

As denúncias para o Sindicato podem ser feitas acessando o canal específico, pelo 3188-5200 ou enviando WhatsApp pelo 97593-7749. O sigilo do denunciante é absoluto. 

Retaliação à greve geral

Os representantes dos trabalhadores também protestaram contra o desconto do salário dos empregados que aderiram à greve geral do dia 14 de junho contra a reforma da Previdência. 

“Além de ser um grande movimento de defesa da seguridade social e dos direitos dos trabalhadores, na Caixa a paralisação também representou a grande insatisfação dos trabalhadores com o desmonte do banco e as condições de trabalho, e agora sua direção pratica represália marcando com falta injustificada sistematicamente. Os bancários devem denunciar ao Sindicato”, orienta Dionísio.  

O Sindicato  cobrou a revisão da falta injustificada, mas a Caixa ainda não respondeu.

Organização 

As federações de sindicatos começarão os processos para a realização dos Congressos estaduais da Caixa. Em São Paulo será realizada assembleia no dia 4 para eleição dos delegados que participarão do congresso estadual no dia 13. O Congresso Nacional da Caixa será realizado nos dias 1 e 2 de agosto. 

“Estamos buscando todos os meios de resistência contra essa desestruturação que está sendo feita por esse governo e essa direção que não conhecem o banco público. O 35º Conecef reunirá trabalhadores do país todo e de todos os segmentos da empresa para debater a estratégia de luta dos empregados”, afirma Dionísio Reis.



Voltar para o topo