Pular para o conteúdo principal

Sindicato protesta contra o assédio e a violência sexual no Banco do Brasil

Imagem Destaque
Dirigentes sindicais protestam contra o assédio sexual e moral, e contra a violência de gênero no Banco do Brasil


O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região protestou contra a violência às mulheres, e o assédio sexual e moral no Banco do Brasil. O ato ocorreu em frente ao prédio da Super do BB, na avenida Paulista, nesta sexta-feira 24.

“Casos de violência e de assédio sexual são muito frequentes na sociedade, e o Banco do Brasil não é exceção. Por isso protestamos para que a direção da empresa assuma um compromisso sério a fim de coibir estas práticas inaceitáveis dentro da sua estrutura organizacional”, afirma Adriana Ferreira, dirigente sindical e bancária do Banco do Brasil.

Campanha dos Bancários 2022

O protesto desta sexta-feira 24 integra a Campanha Nacional dos Bancários 2022, que busca a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, e do Acordo Coletivo de Trabalho do Banco do Brasil.

A CCT bancária possui cláusulas de combate à violência de gênero, como a 51, que garante à empregada vítima de violência doméstica realocação para outra dependência do banco; ou a 49, que determina que os bancos informem, por meio de comunicado interno, tipos de violência doméstica e familiar contra a mulher (física, moral, patrimonial, psicológica, sexual e virtual).

Além disso, a cláusula 10ª do Acordo Coletivo de Trabalho específico do Banco do Brasil determina que o banco avalie e trate como prioridade o pedido de alteração do regime de trabalho da funcionária que for vítima de violência doméstica.

“As bancárias do BB possuem garantias contra a violência de gênero na CCT bancária e no ACT do Banco do Brasil. É mais um motivo para que todas as funcionárias da empresa se mobilizem nos seus locais de trabalho e nas redes sociais; e se informem e compartilhem entre os colegas os conteúdos do Sindicato dos Bancários publicados no site e nas redes sociais [veja links abaixo]. Nossa união, organização e mobilização serão fundamentais para que a gente consiga garantir nossos direitos por meio da renovação da CCT e do ACT.”

Adriana Ferreira, dirigente sindical e bancária do Banco do Brasil

Basta! Não irão nos calar

O Sindicato está divulgando nos locais de trabalho o projeto Basta! Não irão nos calar, que busca dar suporte às mulheres vítimas de abuso sexual, assédio moral e sexual, e violência de gênero na relação com seus pares no banco ou na sua vida familiar.

O programa atua no sentido de assegurar medidas de apoio às denunciantes contra possíveis agressores, buscando a devida apuração e punição dos agressores, seja na esfera corporativa, na esfera civil ou penal, com atendimento jurídico gratuito oferecido pelo Sindicato.

Desde sua implantação, o programa atendeu 282 mulheres que sofrem violência de gênero, e foi responsável por 123 medidas protetivas. Nove sindicatos de bancários participam da iniciativa, dentre eles o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região.

O agendamento para atendimento pelo projeto Basta! Não vão nos calar é realizado via Central de Atendimento, por chat, no telefone 3188-5200 e também via WhatsApp, por meio do número 11 97325-7975 (Clique aqui para falar diretamente via WhatsApp)

Convenção 190 da OIT

O movimento sindical bancário integra a luta para que o Brasil ratifique a Convenção 190 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que reconhece que a violência e o assédio moral ou sexual no mundo do trabalho levam à violação dos direitos humanos, são ameaça à igualdade de oportunidades e, por isso, incompatíveis com o trabalho decente.

A Convenção 190 define violência e assédio como comportamentos, práticas ou ameaças que visem e resultem em danos físicos, psicológicos, sexuais ou econômicos para os trabalhadores atingidos. Os países que ratificam a convenção passam a ter responsabilidade de promover um ambiente geral de tolerância zero contra essas atitudes patronais prejudiciais aos trabalhadores.

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio