Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Bradesco

Bancários promovem ato contra demissões na zona sul de São Paulo

Protesto ocorreu na manhã desta quarta-feira 7, pelo quarto dia seguido contra as dispensas de pais e mães de família, em meio à pandemia

  • Elenice Santos, Redação Spbancarios
  • Publicado em 07/10/2020 17:37 / Atualizado em 07/10/2020 18:47

Imagem: SEEB-SP

Pelo quarto dia seguido, os bancários realizaram mais um protesto contra as demissões no Bradesco. O ato desta quarta-feira 7 ocorreu na zona sul de São Paulo, no Brooklin, em uma agência importante com vários segmentos, inclusive varejo e prime.

Nos próximos dias, mais regiões de São Paulo também farão atos contra as demissões feitas pela instituição financeira.

Sindicato retoma homologações presenciais do Bradesco

A dirigente sindical Maria de Lourdes, a Malu, diz que, mais uma vez, os bancários e a população receberam bem o ato. "Considero que foi bastante positivo visitar a agência Brooklin. Conversamos com os bancários e bancárias, dando orientações e tentando tranquilizá-los, pois as demissões estão tirando a paz e comprometendo a saúde mental deles", diz.

Ela ainda comenta que há vários questionamentos por conta das demissões, e muitos estão preocupados em como irão arcar com os compromissos familiares durante a pandemia, e que inclusive muitos deles são responsáveis pelo sustento de suas casas. "A pergunta que fica é: como os bancários e bancárias demitidos pagarão as suas contas? O Bradesco está demitindo mães e pais de família, e a pandemia não acabou. Isso é lamentável. O Bradesco está sendo insensível em plena pandemia, isto é assustador ", afirma a dirigente.

O Sindicato tem feito vários apontamentos quanto as formas de se reinventar e de não promover demissões no setor. A dirigente destaca que o movimento sindical prisma sempre em manter um canal de diálogo com o Bradesco.

"Não podemos admitir calados essas demissões. Enquanto não houver resposta do banco, vamos continuar lutando e defendendo os direitos e o emprego dos trabalhadores. No primeiro semestre de 2020, o Bradesco faturou R$ 7,626 bilhões e cresceu 3,2% em relação ao trimestre anterior. Por isso, não vamos aceitar essas demissões e estamos cobrando uma negociação com o banco", finaliza  Malu.

Confira como foi o protesto desta quarta 7.

 

 

 

 

Leia mais

Bancários iniciam protestos contra demissões no Bradesco
Contra as demissões, bancários protestam na zona norte de São Paulo
Contra demissão, bancários reagem na região Paulista



Voltar para o topo