#8M

Dia Internacional da Mulher: mês é de luta contra desigualdades e retrocessos

Debates sobre igualdade de oportunidades, relações compartilhadas, combate ao feminicídio, à cultura do estupro e ao machismo continuarão ocorrendo durante todo o mês de março. Confira a programação, em atualização

  • Elenice Santos, Spbancarios com informações da CUT
  • Publicado em 06/03/2018 18:22 / Atualizado em 19/04/2018 12:41

São Paulo – O Dia Internacional da Mulher, 8 de março, passou e foi marcado por atos em todo o Brasil (com marcha em São Paulo) e no mundo, mas os temas relacionados à luta das mulheres, assim como formas de resistência do movimento de mulheres aos retrocessos colocados em prática pelo governo Temer, continuarão a ser debatidos durante todo o mês. Afinal, motivos não faltam para que as mulheres se organizem e lutem.

> Bancárias denunciam assédio sexual 
> "Meu príncipe virou um monstro", conta bancária vítima de violência doméstica
> Luta de Marielle Franco marca discursos no Fórum Social Mundial
> Marielle presente! Atos em SP e outras capitais exigem justiça
Consternação e revolta em atos por Marielle

Estudos recentes mostram que 59% das pessoas desempregadas são mulheres e elas demoram mais para se inserir no mercado: cerca de 15,25 meses. Em relação aos homens, esta média reduz para 12,43 meses. Quando conseguem vaga, são admitidas ganhando menos. No caso das bancárias, de acordo com pesquisa do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, até 28% menos que os bancários contratados em janeiro deste ano.

> Desemprego prejudica mais as mulheres, aponta estudo


> Mesmo sendo maioria com ensino superior, mulheres ainda ganham menos que homens
> Criei um laço maior com meu filho, diz bancário após licença-paternidade
> Mulheres serão as mais prejudicadas com Reforma da Previdência
> Por machismo, mulheres cientistas foram ocultas da História

“Nós mulheres levaríamos 88 anos para ter igualdade salarial com os homens como já mostrou um estudo. Mas, nesse cenário, de um ano com muitos retrocessos, vemos que essa discrepância ficou ainda mais distante de ser alterada”, diz Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato.

 

Neiva lembra ainda que as mulheres levaram anos para conseguir algumas importantes conquistas, que agora estão desaparecendo muito rápido. “Além de lutar contra os retrocessos impostos pelo governo Temer, temos que lutar contra as leis que impedem a gente de ter o direito sobre o nosso próprio corpo, para que mais mulheres ocupem cadeiras no parlamento, para erradicar a violência contra a mulher que cresce a cada dia, contra o desmonte das leis trabalhistas e mais que isso, dizer não à PEC 287, da reforma da Previdência”, finaliza.

Violência - Além disso, número de casos de violência contra a mulher ainda são alarmantes em todo o mundo. “Os números são assustadores. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), 52% das mulheres economicamente ativas já foram assediadas sexualmente. O Mapa da Violência de 2015 mostra que, entre 1980 e 2013, mais de 100 mil brasileiras foram mortas apenas por serem mulher. Sem contar os casos de estupro que ocorrem a cada 11 minutos, e um feminicídio a cada noventa minutos, os relatos de agressão e tantos outros crimes. Combater a violência de gênero é dever de todos. Por isso, estamos empenhadas em aprovar uma convenção internacional sobre combate à violência de gênero na OIT”, diz Neiva, que é vice-presidente da UNI América Mulheres, braço da UNI Global Union, entidade internacional que representa mais de 900 sindicatos em todo o mundo, entre eles o Sindicato de São Paulo, Osasco e Região.

> UNI Global reforça campanha contra assédio sexual no Dia Internacional da Mulher 
> Com menos recurso, mulheres sofrem com aumento da violência
> Sancionada duas leis para coibir a violência contra a mulher

Em vídeo (veja abaixo), a presidenta do Sindicato, Ivone Silva, também destaca a desigualdade no mercado de trabalho para as mulheres, em especial no setor financeiro, a dupla jornada de trabalho e os prejuízos maiores com a reforma da Previdência de Temer.

 

 

> Congresso Nacional aprovou pautas feministas
> Preocupante: 60 mil mulheres terão diagnóstico de câncer de mama neste ano

Jornada das Mulheres – Os atos do 8 de março em SP compõem a Jornada de Luta das Mulheres em Defesa da Democracia e dos Direitos, que foi lançada em 24 de fevereiro, em São Bernardo do Campo, e que percorrerá cidades do interior paulista até o dia 1º de maio.

 

A seguir, confira agenda pelo estado:

MARÇO

DIA 9 

São Bernardo do Campo
Atividade das Mulheres Metalúrgicas do ABC
Local: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - Rua João Basso, 231

Sorocaba
Oficina para mulheres sobre direitos trabalhistas
Às 18h30
Local: Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba - Rua Júlio Hanser, 140 – Lageado
Inscrições: www.smetal.org.br/mesdamulher 

DIA 10

São Paulo
Homenagem do Dia Internacional da Mulher
Local: Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação (Afuse) - Rua Sena Madureira, 263 - Vila Clementino

DIA 12

Sorocaba
Seminário Ação Sindical e Promoção do Trabalho Decente
Das 8h às 17h 
Local: Sorocaba Park Hotel – Av. Prof. Joaquim Silva, 205, Alto da Boa Vista – Sorocaba
Realização: Sindicato do Vestuário de Sorocaba e Ministério Público do Trabalho
Inscrições pelo site: www.vestuariosorocaba.org.br/ Informações: (15) 3222-2122

DIA 13

Guarulhos
Curso de defesa pessoal para as aeroviárias e demais mulheres que acessarem o GRU Airport 
Às 15h
Local: Terminal 3 - Rod. Hélio Smidt, s/nº - Cumbica
Realização: Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos

DIA 14

Sorocaba
Oficina sobre planejamento financeiro/familiar
Às 18h30
Local: Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba - Rua Júlio Hanser, 140 – Lageado
Inscrições: www.smetal.org.br/mesdamulher 

DIA 15

Penápolis
Encontro de Aposentadas da Apeoesp
Às 16h
Local: Subsede da Apeoesp - Rua Santa Clara, 45 - centro, Penápolis 

DIA 23

Sorocaba
Festa das Mulheres do Sindicato dos Trabalhadores em Refeições Coletivas
Às 19h
Local: Salão Bom Samaritano – Rua Lázaro Guerreiro Puglia, 86 – Jardim Santa Fé
Inscrições até 16/2 no (15) 3233-9146 / 3211-1665

5ª Mostra de Artes das Mulheres de Sorocaba
Até 25/2
Local: Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba - Rua Júlio Hanser, 140 – Lageado
Informações: http://bit.ly/2F60txW

Taubaté
Atividade das Mulheres Metalúrgicas de Taubaté
Local: Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté - Rua Urupês - Chácara do Visconde

DIA 28

São Paulo
Aula Pública do Sindsep-SP - “Direitos, questões de gênero e trabalho público”
Local: Auditório da Supervisão de Saúde - Praça Centenário de Vila Prudente, 108 - Vila Prudente

Santo André
De 28/02 a 28/11
17º Curso – Promotoras Legais Populares (Atividade faz parte da agenda do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Santo André) 
Das 18h30 às 20h50

*EM ATUALIZAÇÃO

 



Voltar para o topo