Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Santander

Santander: Sindicato negocia adiamento da compensação de horas negativas

Após negociação, Santander apresentou proposta de Acordo Aditivo que prevê que o início da compensação se dê em março, a depender da situação da pandemia, sendo que anteriormente estava previsto para janeiro. Nesta terça 9, acordo será deliberado pelos trabalhadores em assembleia virtual

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 28/01/2021 15:35 / Atualizado em 09/02/2021 20:08

Imagem: freepik

ATUALIZAÇÃO (9/2 - 20h10): Em assembleia virtual, encerrada às 20h desta terça-feira 9, os bancários do Santander aprovaram, com 96,41% dos votos, o Acordo Aditivo para adiamento da compensação das horas negativas.   

Após negociação com o Santander, o Sindicato conquistou proposta de Acordo Aditivo para adiamento do início da compensação das horas negativas – incialmente previsto para janeiro – para o mês de março. Este novo prazo está condicionado a análise futura das condições da pandemia de coronavírus, com a possibilidade de nova prorrogação. Além disso, a proposta amplia o período para a compensação de 12 para 18 meses, sendo vetado desconto em folha de pagamento até encerrado este prazo. Em caso de demissão sem justa causa ou aposentadoria, também é vetado o desconto das horas não compensadas. 

“Quando negociamos o acordo de banco de horas negativas, em setembro, foi previsto o início da compensação em janeiro. Porém, com a continuidade e o agravamento da pandemia, não é seguro o retorno dos bancários ao trabalho presencial e o aumento de jornadas para compensação de horas negativas. Entendemos que o grande avanço que conquistamos nas negociações, que resultaram nesta proposta de acordo, é o compromisso do Santander de não convocar os bancários para imediata compensação de horas. Essa flexibilização, diante do atual cenário da pandemia, é fundamental para preservar a saúde e a vida dos trabalhadores, sobretudo daqueles incluídos no grupo de risco. Entretanto, seguindo a tradição democrática do Sindicato e demais entidades representativas, a decisão final sobre o acordo cabe aos bancários”, enfatiza a diretora do Sindicato e coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander, Lucimara Malaquias.

“Cobramos ainda que o banco atue no sentido de oferecer funções para estes trabalhadores exercerem de forma remota, evitando assim o aumento do banco de horas negativas a ser compensado”, acrescenta a dirigente. 

A diretora do Sindicato esclarece ainda que o Sindicato acompanhará ao longo do ano a compensação das horas negativas e que, caso ocorram problemas, novas conversas com o banco serão realizadas. Além disso, a entidade continuará a cobrar do Santander medidas mais eficazes em relação a prevenção da Covid-19. 

“Em especial medidas que reduzam o número de trabalhadores atuando de forma presencial. A pandemia está avançando com força e o banco tem responsabilidade com a saúde e a vida de seus funcionários e clientes. O teletrabalho não pode ser encarado como privilégio. É uma questão de saúde coletiva, necessária para diminuir a circulação do vírus e preservar vidas”, conclui Lucimara.

Caso algum gestor esteja convocando pessoas do grupo de risco para retorno ao trabalho presencial, é necessário que o bancário denuncie de imediato ao Sindicato (veja como no final da matéria), que tem atuado com sucesso nestes casos. O sigilo é garantido. 

Resumo da proposta de Acordo Aditivo para compensação de horas negativas:

- Início da compensação será adiado de janeiro para março, com a possibilidade de nova prorrogação a depender do cenário da pandemia de coronavírus. 

- Ampliação do prazo de compensação de 12 para 18 meses. 

- Vetado desconto em folha de pagamento até encerrado o prazo de 18 meses para compensação. 

- Em caso de demissão sem justa causa ou aposentadoria, é vetado o desconto das horas negativas não compensadas. 

Procure o Sindicato

Nesse contexto de pandemia de coronavírus, em que o movimento sindical bancário conquistou home office para metade da categoria em todo o país, é indispensável que os trabalhadores possam se comunicar com o Sindicato.

 

 

Por isso, adicione o WhatsApp do Sindicato para receber notícias de seu interesse: 11 99930-8483. E quando quiser fazer alguma denúncia ou tirar alguma dúvida, também pode fazê-lo por meio do WhatsApp, mas neste outro número: 11 97593-7749.

Veja outras formas de contatar o Sindicato:

> Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco ou financeira não está cumprindo o acordado? CLIQUE AQUI e deixe seu contato que vamos te ligar 

> Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário 

Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

> Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia

> Quer receber notícias sobre o seu banco ou financeira? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail. 



Voltar para o topo