Saúde

Caso suspeito provoca vacinação contra sarampo no ITM do Itaú

Agentes da Prefeitura estiveram no centro administrativo, onde estão lotadas cerca de 4 mil pessoas, nesta quinta e sexta-feira para imunizar os trabalhadores

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 19/07/2019 17:32

Foto: Seeb-SP

Um caso suspeito de sarampo detectado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo nas dependências do ITM, concentração do Itaú na Vila Leopoldina, provocou a vacinação de funcionários do prédio nesta quinta 18 e sexta-feira 19. Cerca de 4 mil trabalhadores do banco estão lotados no centro administrativo.

“Uma funcionária do prédio informou, quando atendida no hospital, que trabalhava no centro empresarial. Como está tendo um surto no estado de São Paulo e por ser um vírus altamente contagioso, a Prefeitura esteve lá para fazer a imunização em até 72 horas após o comunicado”, salienta o dirigente sindical Fábio Rogério, bancário do Itaú. "É importante que os funcionários ainda não imunizados procurem um posto de saúde para fazê-lo o quanto antes. Para os que não sabem se já tomaram o número adequado de doses da vacina, a orientação é se vacinar", acrescenta. 

A vacina contra o sarampo é recomendada aos 12 meses de vida (tríplice viral), com reforço aos 15 meses (tetra viral). Quem não tomou quando bebê deve receber duas doses, ou da tríplice ou da tetra, até os 29 anos. Dos 30 aos 49 anos é recomendada ainda uma dose única de uma das duas vacinas. Quem já teve a doença não precisa se vacinar.

O prédio do Itaú não é o único na Vila Leopoldina, bairro às margens do Rio Pinheiros, a registrar casos da doença. A concentração do Bradesco na mesma região vem sofrendo com uma quantidade enorme de afastamentos por doenças. Casos de sarampo, caxumba e rubéola têm se multiplicado entre os trabalhadores da unidade, deixando-os apreensivos devido ao fato de ser um local bastante fechado.

O aumento dos casos de sarampo levou a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo a promover uma campanha de vacinação nas estações do Metrô, CPTM e EMTU, por meio de postos volantes, até o dia 16 de agosto.   

 



Voltar para o topo