No limite

No Itaú, demitir também virou meta 

Até o momento, sete trabalhadores já foram mandados embora por supostamente apresentarem “baixa performance”. Na verdade, desligamentos estariam sendo feitas para cumprir meta estabelecida pelo banco

  • William De Lucca, Spbancarios
  • Publicado em 01/07/2019 14:27 / Atualizado em 01/07/2019 15:29

Foto: Yanalya/Freepik

Trabalhadores do Itaú lotados no Centro Administrativo Tatuapé (CAT), na zona leste de São Paulo, denunciaram ao Sindicato que estão sob pressão por metas abusivas, assédio moral e até mesmo ameaça de demissão.

Segundo as denúncias, os abusos têm ocorrido na Superintendência de Operações de Órgãos Legais, especialmente na gerência de Canais Críticos, que tem planos para demitir aproximadamente 25 trabalhadores ao longo de 2019, o que seria uma proposta de redução do orçamento da área no contrato dos gestores.

O dirigente sindical Edegar Faria, funcionário do Itaú, diz que "a cobrança das metas está sendo realizada de forma ostensiva e que, em uma das reuniões, uma coordenadora, que é alvo de diversas denúncias pelo ombudsman [canal interno de denúncias do banco], disse que elas deveriam ser cumpridas caso as pessoas quisessem manter-se empregadas.”

Até o momento, sete trabalhadores já foram demitidos, por supostamente apresentarem baixa performance. “O que se observa, entretanto, é que existe uma eliminação de postos de trabalho, uma vez que não há intenção de reposição da força de trabalho nas mesmas funções”, diz Edegar.

Ele ressalta ainda que no contrato de metas dos trabalhadores há um componente de análise subjetiva, e que este instrumento tem sido usado para distribuição das notas de modo a enquadrar trabalhadores em performance baixa ou crítica, justificando sua posterior demissão e, em vários casos, contradizendo a avaliação de pares e parceiros que têm uma visão positiva do trabalho desenvolvido.

O Sindicato procurou o RH para solucionar o problema e interromper as pressões e demissões arbitrárias, mas até o momento não houve retorno por parte da empresa. "Isso mostra que o banco não apenas trabalha com números, mas trata a vida das pessoas como tal. Para o Itaú você é só mais um custo distribuído em uma planilha", critica.

Denuncie

Em caso de pressão por metas, ameaça de demissão ou feedbacks direcionados para reduzir a nota na avaliação do trabalhador, é fundamental denunciar ao Sindicato, por meio do canal específico (clique aqui para fazer a denúncia), ou ainda pelo telefone 3188-5200. O anonimato é garantido.



Voltar para o topo