Campanha 2018

Valeu a pressão: bancos recuam e devolvem PLR às bancárias em licença-maternidade

Está mantido também o salário substituto e o adicional de insalubridade e periculosidade; negociação teve uma pausa e continua ainda nesta quinta-feira 23

  • Contraf-CUT
  • Publicado em 23/08/2018 17:59 / Atualizado em 23/08/2018 21:06

Foto: Júlio César Costa

A pressão da categoria bancária e do Comando Nacional dos Bancários, na mesa de negociação, surtiu efeito. Os bancos recuaram na proposta que pretendia tirar das bancárias em licença-maternidade o direito a pagamento integral da PLR. Também está mantida a cláusula 5ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que prevê o pagamento do salário substituto, e a cláusula 10ª, do adicional de insalubridade e periculosidade. 

> PLR dos afastados também está garantida

O movimento sindical cobrou aumento no índice de reajuste e os bancos pediram uma pausa. A negociação continua logo mais.

Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

Saiba como foram as negociações com a Fenaban

> 1ª rodada: Bancos frustram na primeira rodada de negociação
> 2ª rodada: Calendário de negociações foi definido
> 3ª rodada: Categoria adoece, mas Fenaban não apresenta proposta 
> 4ª rodada: Em mesa de emprego, bancos não se comprometem contra contratações precárias
> 5ª rodada: Bancos não apresentam proposta
> 6ª rodada: Bancos lucram bilhões e não querem dar aumento real
> 7ª rodada: Negociação com Fenaban continuará na terça-feira 21
> 8ª rodada: Bancos propõem reajuste insuficiente, com retirada de direitos



Voltar para o topo