Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Dia 5 nas ruas

Reaja ou morra trabalhando!

Linha fina
Tiraram seus direitos e agora querem acabar com sua aposentadoria; Sindicato fará assembleias nos locais de trabalho para que bancários decidam sobre paralisação
Imagem Destaque

São Paulo – Quer se aposentar um dia? Então participe da luta. É com esse recado que o Sindicato percorrerá os locais de trabalho nos dias 30, 1º e 4 de dezembro, para que os bancários deliberem sobre sua participação na greve convocada pela CUT, Intersindical, CTB e demais centrais sindicais para a terça-feira 5.

> Dia 5, todos na luta: reaja ou morra trabalhando
> Vagner Freitas convoca trabalhadores para paralisação do dia 5
> Após reunião com Maia, Vagner reforça que saída é greve

“Vamos fazer um amplo debate com a categoria sobre a importância de participar dessa paralisação nacional”, afirma Ivone Silva, presidenta do Sindicato. “Temos de fazer uma grande mobilização contra o fim da aposentadoria, contra essa reforma da Previdência. E deixar claro: quem votar contra os trabalhadores, não voltará a ser eleito.”

> 85% dos brasileiros são contra reforma da Previdência

A data tem uma razão de ser. Temer e seus aliados no Congresso Nacional querem que a retirada de direitos da aposentadoria seja votada no dia 6 de dezembro na Câmara dos Deputados.

> Pressione deputados contra fim da aposentadoria

“O dia 5 não é uma data que os sindicalistas estão marcando para fazer uma greve porque são contra o governo. O dia é para que os trabalhadores se manifestem em defesa do sagrado direito à aposentadoria deles, dos seus filhos e netos”, afirma o presidente da CUT, o bancário Vagner Freitas, lembrando que Temer já gastou R$ 14 bilhões para aprovar o desmonte trabalhista e deve gastar mais R$ 14 bilhões para passar a reforma da Previdência. “Aí vem dizer que não tem dinheiro para pagar a aposentadoria. Tem! Se o recurso for destinado corretamente, tem. Há estudos que mostram que a Previdência é superavitária se ela for gerida corretamente e se for feita a cobrança aos sonegadores, além de acabar com os verdadeiros privilégios concedidos aos empresários.”

> Cartilha do Sindicato mostra que não há déficit na Previdência
> Governo gastará R$ 99 mi em propaganda pró-reforma

E por falar em privilégio, o presidente da CUT ironiza a propaganda do governo que afirma querer acabar com privilégios: “Privilégio é o Temer se aposentar aos 55 anos como procurador estadual ganhando 30 mil reais por mês”.

Funcionamento – A sede e as regionais do Sindicato não vão funcionar no dia 5. Toda a estrutura da entidade estará voltada às atividades em defesa dos direitos dos trabalhadores.