Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Editorial - Folha Bancária

Ivone Silva: sindicatos fortes são fundamentais

No Ao Leitor, da Folha Bancária 6.217, a presidenta do Sindicato destaca que a organização dos trabalhadores é essencial para a distribuição de renda no capitalismo; e dá como exemplo a negociação com a Fenaban que impediu a adoção pelos bancos da MP 905 de Bolsonaro

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 28/11/2019 12:59 / Atualizado em 28/11/2019 13:03

Foto: Seeb-SP

A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ivone Silva, destaca no editorial da Folha Bancária 6.217, que é a organização dos trabalhadores em sindicatos fortes que garante salários melhores e direitos. Por isso são fundamentais para uma melhor distribuição de renda no capitalismo. Leia abaixo:

Ao Leitor, Folha Bancária 6.217 

Sindicatos fortes são fundamentais

Sindicatos fortes e representativos são fundamentais para garantir direitos e remunerações mais dignas aos trabalhadores. Estudos comprovam que a organização em sindicatos está ligada a uma maior distribuição de renda. Um exemplo é o que ocorre nos EUA, onde o enfraquecimento dos sindicatos é apontado como uma das principais causas da redução de renda da classe média e dos mais pobres, enquanto que a dos mais ricos dobra ou triplica.

Tivemos outro exemplo claro disso na mesa do dia 26 com a Fenaban, sobre a MP 905 de Bolsonaro. Conseguimos reverter a implantação da MP pelos bancos, garantindo a jornada dos bancários; o descanso aos sábados; e que as regras da PLR fossem definidas com a participação dos sindicatos. Eram ataques diretos ao bolso dos bancários e a sua qualidade de vida. E que só foram revertidos porque nossa categoria está representada por sindicatos fortes em todo o país.

Os trabalhadores no Brasil estão sendo fortemente atacados, em prol dos interesses dos empresários. E mais do que nunca precisamos nos unir!

Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

 

 

Leia também

> As consequências da falta de sindicatos nos EUA
Aumenta apoio da população aos sindicatos nos EUA



Voltar para o topo