Pular para o conteúdo principal

Mentir sobre sua condição de saúde pode custar o seu emprego

Linha fina
Esconder do gestor confirmação ou suspeita de Covid-19, assim como o gestor esconder da equipe médica do banco que possui suspeita ou confirmação da doença na equipe, pode acarretar em demissão por justa causa
Imagem Destaque
Imagem: freepik

O bancário do Bradesco, assim como de todos os demais bancos, em hipótese nenhuma deve esconder ou mentir sobre a sua condição de saúde. Omitir suspeita ou confirmação de contaminação por Covid-19, assim como o gestor esconder da equipe médica do banco que possui na equipe suspeita ou confirmação da doença, pode acarretar em demissão por justa causa. 

Sindicato cobra da Fenaban reforço do home office e de medidas contra o coronavírus
Sindicato reivindica redução do horário de atendimento nas agências
Sindicato cobra dos bancos que não aumentem metas na pandemia

O Sindicato recebeu denúncia de que uma bancária testou positivo para Covid-19 e não comunicou aos colegas. Para piorar, o gestor estava ciente da condição de saúde da bancária e não avisou a equipe médica do banco.  

“A situação da pandemia no país, e especificamente no estado de São Paulo, está gravíssima. Batemos recordes diários de casos e óbitos por Covid-19. Omitir ou mentir sobre sua condição de saúde, assim como o gestor esconder suspeita ou confirmação de Covid-19 na equipe, além de ser uma irresponsabilidade com a própria saúde, com a dos colegas e a dos clientes, pode levar a sanções e até mesmo a uma demissão por justa causa, como já aconteceu no ano passado”, alerta a dirigente do Sindicato e bancária do Bradesco Fernanda Reis. 

"Em junho de 2020, o Sindicato noticiou dois casos de demissões por justa causa devido ao desrespeito aos protocolos. Uma bancária que testou positivo para Covid-19 e mesmo assim foi ao local de trabalho; e um bancário que estava em quarentena, pois trabalhava em local com caso confirmado, e descumpriu o afastamento ao visitar uma agência. Preserve a vida e também o seu emprego. Siga os protocolos na íntegra", orienta a dirigente. 

O bancário que sofrer qualquer tipo de assédio para esconder seu estado de saúde para continuar trabalhando, ou por qualquer outro motivo, deve denunciar imediatamente ao Sindicato (veja como abaixo). O sigilo é garantido. 

Pior momento da pandemia 

A pandemia de Covid-19 segue em crescimento descontrolado no país. Na terça-feira 9, o Brasil voltou a bater recorde de óbitos em 24h, com 1.972 vítimas da doença. Com isso, já são 268.370 mortes desde o início da pandemia, em março do ano passado. O balanço da terça-feira também apontou um total de 70.764 novos casos, sem levar em conta a subnotificação. Desde março, 11.122.429 brasileiros já foram contaminados. 

As médias móveis diárias de novos casos e óbitos por Covid-19, calculadas com base nos últimos sete dias, também seguem crescendo, superando o pior momento até então da pandemia, que foi registrado entre julho e agosto de 2020. 

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

> Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? CLIQUE AQUI e deixe seu contato que vamos te ligar 

> Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário 

Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

> Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia

> Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.