#96AnosDeLuta

Sindicato é homenageado na Câmara dos Deputados. Veja como foi!

Na ocasião, ex-presidentes lembraram do histórico de lutas e conquistas da entidade ao longo de sua história; e falaram da importância da união e da resistência contra os esforços do governo Bolsonaro em retirar direitos dos trabalhadores e desmontar a Previdência Social

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 02/05/2019 18:00 / Atualizado em 28/05/2019 19:05

Uma sessão solene na Câmara dos Deputados, na terça-feira 30, homenageou o Sindicato que completou 96 anos em 16 de abril. A iniciativa foi da deputada federal e também bancária, Erika Kokay (PT-DF). Na ocasião, a presidenta do Sindicato, Ivone Silva, fez questão de ressaltar a importância da unidade da categoria bancária no país e acrescentou que disposição não faltará para a entidade no combate à retirada de direitos dos trabalhadores e tentativa de desmonte do país pelo atual governo.   

A presidenta do Sindicato, Ivone Silva, ressaltou a ressaltar a importância da unidade da categoria bancária no país
Presidenta do Sindicato, Ivone Silva, em sessão solene na Câmara

“O Sindicato é um velhinho que tem muita energia e continua na luta, pois hoje temos no país um governo que quer retirar ainda mais direitos da classe trabalhadora, acabar com toda a proteção que o Sindicato e outras categorias ajudaram a conquistar na Constituição Cidadã de 1988. Não dá para falar dos 96 anos do Sindicato sem mencionar a principal luta deste ano, que é contra a reforma da Previdência”, salientou a presidenta.

“O Sindicato é o maior amor da minha vida. Se nós chegamos à presidência da CUT – e eu saí de Sapopemba para ser caixa do Bradesco –, a escola da minha vida é o nosso Sindicato. Quando cheguei, o (ex-presidente) Augusto Campos me dizia: ‘menino, este Sindicato foi construído para formar a CUT e lutar pelos trabalhadores do Brasil inteiro'”, acrescentou o bancário e presidente da CUT, Vagner Freitas.

A sessão contou ainda com as presenças dos ex-presidentes do Sindicato Gilmar Carneiro, Ricardo Berzoini e Luiz Cláudio Marcolino.

> Sindicato: 96 anos de luta e conquistas para a categoria bancária

“Nós tivemos, durante os oito anos em que eu estive à frente do Sindicato, greves em todos eles. E conseguimos criar o primeiro acordo coletivo para todos os bancários, de bancos públicos e privados, numa mesma mesa de negociação. Com isso, tivemos aumento real todos os anos”, ressaltou Luiz Cláudio Marcolino.

Já o ex-ministro do Trabalho no governo Lula, Ricardo Berzoini lembrou que uma conquista histórica do Sindicato culminou, posteriormente, na criação da Previdência Social, hoje sob ataques do governo Bolsonaro. “Coincidentemente, a greve dos bancários de 1934 este ano faz 85 anos. Na ocasião, a principal reivindicação era a criação da caixa de aposentadorias e pensões dos bancários, aposentadoria aos 30 anos de trabalho e 50 anos de idade, elementos compatíveis com a expectativa de vida dos brasileiros à época. Daquela greve histórica, referência para toda a classe trabalhadora brasileira, o resultado foi uma vitória: a criação da primeira caixa de aposentadoria e pensões dos trabalhadores do setor privado. Posteriormente, outros institutos similares foram criados e vieram a se fundir no INPS, que deu origem ao atual INSS”.

Os arbítrios contra a entidade também foram mencionados na sessão da Câmara dos Deputados. “Quando a CUT foi criada, em 1983, tivemos cinco sindicatos sob intervenção. A que durou mais tempo foi a do Sindicato dos Bancários de São Paulo: 20 meses. E os banqueiros nomearam os seus funcionários como interventores. E hoje a gente vê de novo: quem manda no Brasil? São os bancos ainda”, lembrou o ex-presidente do Sindicato Gilmar Carneiro.

Logo em seguida, a deputada Erika Kokay lembrou: “Os bancários foram aqueles que conseguiram, em 1992, a convenção nacional de toda a categoria, direitos assegurados (para os bancários) de ponta a ponta do Brasil”.

A sessão teve início com a leitura, pela deputada Erika Kokay, de uma carta do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). “O movimento sindical dos bancários sempre se caracterizou pela força e pioneirismo. Ao longo de quase um século de atuação, sua organização, reivindicações e conquistas têm inspirado entidades de diversas outras categorias da classe trabalhadora do nosso país, contribuindo para o fortalecimento das nossas entidades sindicais”, diz um trecho da nota.

 



Voltar para o topo