Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Proteção aos bancários

Sindicato envia ofício a Doria cobrando vacinação para bancários

Imagem Destaque
Arte com a frase:Vacina para os bancários

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região continua lutando pela inclusão da categoria no plano de vacinação contra a Covid-19. No último 14 de maio, enviou mais uma vez ofício ao governo do estado reivindicando que os trabalhadores em instituições financeiras, assim como outras categorias que atuam na linha de frente na pandemia, tenham prioridade no plano estadual de imunização. A solicitação foi enviada diretamente ao governador João Doria, e foi assinada também pela Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito de São Paulo (Fetec/SP) e pela Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb-SP/MS).

“Estamos atuando em todas as frentes para cobrar a vacinação para os bancários, principalmente os que estão prestando atendimento nas agências, que têm contato com a população. Assim como professores, metroviários, motoristas de ônibus e outras categorias que trabalham direto com o público, prestando serviço considerado essencial, os bancários também precisam estar imunizados para poder trabalhar com mais segurança”, ressalta a presidenta do Sindicato, Ivone Silva.

Ivone lembra que o Sindicato já enviou anteriormente dois ofícios ao governo, um deles endereçado à coordenadoria do Plano Estadual de Imunização e outro diretamente a Doria. Enviou ainda ofícios à Prefeitura de São Paulo e ao governo federal (ao Ministério da Saúde), todos pedindo a inclusão da categorias nos planos municipal, estadual e federal de vacinação contra o coronavírus.

“Além disso, estamos também atuando em parceria com parlamentares para que apoiem a causa. Um exemplo disso foi o projeto de lei recentemente apresentado pela vereadora Juliana Cardoso (PT), que prevê vacinação prioritária para a categoria bancária e outras categorias em atividades essenciais. Outra frente de atuação é na mesa de negociação com a Fenaban [federação dos bancos], onde sempre cobramos a entidade representante dos bancos para que também fortaleça a reivindicação por vacina junto ao governo federal e poderes executivos de cada estado”, destaca.

Ivone lembra que o movimento sindical bancário atua pela proteção e segurança dos trabalhadores desde o início da pandemia. “Fomos uma das primeiras categorias a negociar medidas de proteção aos trabalhadores. Assim, conseguimos que metade dos bancários, em todo o país, fossem colocados em home office ou em regime de rodízio nas agências. Também sentamos à mesa regularmente com a Fenaban para discutir melhorias nos protocolos de segurança contra a Covid e medidas que consideramos fundamentais, como a suspensão das metas de vendas neste momento. São reivindicações que não foram atendidas pelos bancos, mas continuamos mobilizados e insistindo nessas questões. Estamos vivendo um cenário dificílimo, e não podemos abrir mão da organização e da pressão para garantir direitos mínimos”, reforça.

Ofício

No ofício endereçado a Doria, o Sindicato, a Fetec/SP e a Feeb-SP/MS lembram que a atividade bancária foi considerada essencial em todos os decretos que previam o fechamento de parte do comércio e de serviços devido à pandemia, portanto, sempre foram mantidas em funcionamento.

Destaca ainda que o pagamento do auxílio emergencial, pelos bancários da Caixa, movimentou e tende a movimentar ainda mais a população nas agências bancárias, o que expõe os trabalhadores e resultou em um grande número de infecções por Covid-19.

O documento chama atenção ainda para aglomeração de pessoas nas unidades bancárias, inclusive formando filas nos autoatendimentos, o que também aumentam os riscos para os trabalhadores, e há imagens anexas dessas aglomerações. “Não raras são as situações em que contingentes de clientes, usuários dos serviços bancários e beneficiários das políticas públicas buscam atendimento nas agências bancárias e propiciam aglomerações, como demonstrado nas imagens anexas a este ofício. Dessa maneira, por todos os motivos ora explanados, as Entidades Sindicais solicitam a devida atenção ao pedido para a inclusão da Categoria Bancária no grupo prioritário para vacinação nesse Estado, haja vista estarem, durante todo o período, executando atividades essenciais e imprescindíveis a toda a sua população”, finaliza o texto do ofício.