Pular para o conteúdo principal

Itaú: emprego, saúde e remuneração são prioridades para os bancários

Imagem Destaque

Após o Encontro Nacional dos Trabalhadores do Itaú, realizado no dia 5 de agosto, a Comissão de Organização dos Empregados do Itaú (COE) se reuniu com a direção do banco, nesta quinta-feira 12, para debater pontos importantes de interesse dos trabalhadores, como a manutenção do emprego, remuneração e saúde e condições de trabalho.

>Lucro do Itaú cresce 59% em 12 meses e atinge R$ 12,9 bilhões no 1º semestre de 2021

Emprego

A COE – que representa os trabalhadores nas negociações com o Itaú – questionou a direção do banco sobre as demissões nas agências e polos administrativos durante a pandemia.

>Demissões e pressão para realocação: Itaú toca o terror em setor do Ceic

Outro ponto que apontado foi a dificuldade em conseguir realocação através do POC (Programa de Oportunidade de Carreira).

O retorno das homologações feitas pelo Sindicato foi outra reivindicação do movimento sindical.

“Cobramos do banco o fim das demissões e o retorno imediato do Centro de Realocação. Os trabalhadores não podem ser penalizados por conta de reestruturações ou implementações de projetos durante a pandemia.”

Sérgio Francisco, diretor do Sindicato e bancário do Itaú

Remuneração

A COE levou para o banco as reclamações apontadas pelos trabalhadores em consulta feita pelo Sindicato sobre o Gera (novo programa de remuneração) e cobra transparência, levando em conta que a implementação foi feita durante a pandemia, o que dificultou ainda mais o desempenho dos trabalhadores em relação às metas.

“Queremos construir um acordo nacional sobre o Gera com regras claras que comtemplem os trabalhadores”, afirma Sérgio Francisco.

Saúde

O banco foi alertado sobre o adoecimento e os afastamentos dos trabalhadores durante a pandemia por conta da cobrança excessiva por metas e assédio moral nos locais de trabalho.

>Simone Biles: saúde mental é importante, seja você atleta olímpico ou bancário

Outro ponto discutido foi o eventual retorno ao trabalho, o que tem gerado muita preocupação entre os trabalhadores e para o Sindicato. O Itaú informou que o retorno ocorrerá de forma voluntária, seguindo as normas e protocolos de saúde. Dirigentes manifestaram a preocupação com o retorno de gestantes e grupos de risco.

A COE afirmou ao Itaú que o retorno ao trabalho só deve ocorrer quando os bancários estiverem devidamente vacinados com as duas doses. Foi enfatizada a importância a negociação com o movimento sindical sobre como será feito esse processo.

Também foi levado ao banco a possibilidade de construção de um acordo de trabalho sobre o parcelamento da dívida causada pelo indeferimento do benefício do INSS.

Banco de horas negativas

Embora o banco tenha apresentado uma redução nos números de trabalhadores com horas negativas, o prazo para compensação de horas deve ser revisto.

“A Comissão de Organização dos trabalhadores [COE] irá construir uma pauta de reivindicações apontadas no encontro nacional a ser entregue em breve ao banco Itaú.”

Sérgio Francisco, diretor do Sindicato e bancário do Itaú

Procure o Sindicato

O Sindicato está monitorando todos os locais de trabalho e alertando os bancários. Como as informações estão sendo atualizadas constantemente, deixamos aqui nossos canais de comunicação.

Está com um problema no seu local de trabalho ou seu banco não está cumprindo o acordado? Deixe seu contato que vamos te ligar 

Central de Atendimento - você pode falar conosco via chat  ou solicitação via formulário ou whatsapp.

 Em tempo real - Entre nessa página especial do nosso site para saber todas as notícias sobre o coronavírus (Covid-19) 

Redes Sociais - nossos canais no Facebook e Twitter estão abertos, compartilhando informações do Sindicato e de interesse da sociedade sobre a pandemia.

Quer receber notícias sobre o seu banco? Cadastre-se em nossa newsletter e receba em seu e-mail.

seja socio