Pular para o conteúdo principal

Itaú anuncia encerramento do ITM

Linha fina
Banco divulgou cronograma de migração de departamentos, que tem inicio já em dezembro; Itaú também anunciou projeto piloto para mudança do sistema de vale-transporte, que abrangerá 368 bancários de 33 agências da região da Mooca. Sindicato acompanhará mudanças e qualquer problema deve ser denunciado
Imagem Destaque
Foto: Seeb/SP

Em reunião com dirigentes do Sindicato, o Itaú informou que encerrará as atividades no ITM, concentração bancária localizada na zona oeste da capital paulista. De acordo com o banco, a migração completa dos departamentos hoje alocados no ITM se dará, no máximo, até abril de 2021. 

O banco se comprometeu a comunicar previamente o Sindicato sobre eventuais fechamentos de outras concentrações bancárias e a devida realocação dos trabalhadores.  

Confira abaixo o cronograma, com os locais de transferência de cada departamento, informado pelo banco: 

- Central de Atendimento (aproximadamente 1.150 trabalhadores): será transferida para o CA Tatuapé (CAT) já em dezembro. 

- Diretoria de Serviços e Infraestrutura (29 trabalhadores): será transferida para o CA Tatuapé (CAT) em fevereiro. 

- Diretoria de Operações Varejo (7 trabalhadores): será transferia para o CT (Centro Tecnológico) em abril. 

- Diretoria de Atendimento IBBA (8 trabalhadores): ainda sem definição de local e data para a transferência. 

Mudança no vale-transporte

O banco também informou sobre um projeto piloto de mudança no sistema de vale-transporte, que envolverá 33 agências da região da Mooca, abrangendo 368 trabalhadores. De acordo com os representantes do Itaú, neste projeto piloto o banco irá utilizar os serviços de uma empresa para o crédito em cartão que, caso seja regulamentado, será aceito em todos os transportes públicos, respeitando o sistema aderente ao vale-transporte e a CCT (Convenção Coletiva de Trabalho). 

Será necessário que o trabalhador atualize seu endereço junto ao banco para que o sistema faça o mapeamento das melhores rotas. O funcionário poderá escolher entre até três rotas. Caso tenha outra opção, deverá apresentá-la ao banco. 

De acordo com o Itaú, o projeto será implementado em janeiro e estará funcional já em fevereiro. 

“O Sindicato estará acompanhando de perto tanto o processo de migração dos trabalhadores do ITM como a implementação do projeto piloto de mudança no sistema de vale-transporte, sempre visando que nenhum bancário tenha qualquer tipo de prejuízo. Os bancários que se sentirem de alguma forma pressionados, coagidos ou prejudicados com as mudanças devem procurar o Sindicato (CLIQUE AQUI). O sigilo é garantido”, orienta o dirigente do Sindicato e bancário do Itaú, Sergio Francisco.