Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Abuso

Sindicato repudia assédio contra Isa Penna

Deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) apalpou os seios da parlamentar do PSOL durante sessão plenária na Alesp

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 18/12/2020 14:34 / Atualizado em 18/12/2020 14:43

Vídeo mostra o momento exato da agressão

Foto: Reprodução

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região repudia o assédio praticado pelo deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) contra a deputada Isa Penna (PSOL) na noite da quarta-feira 16. Durante a sessão plenária da Alesp, o deputado se posicionou atrás da parlamentar e apalpou os seus seios – gesto registrado em vídeo. A atitude lamentável de Cury foi repelida por Penna no mesmo instante.

A parlamentar informou que que abriu boletim de ocorrência por importunação sexual contra o agressor. Em um post no Facebook, Isa Penna falou sobre sua luta pela erradicação da violência contra a mulher e lembrou outros episódios de assédio e abusos cometidos contra deputadas na Alesp.

“Sou conhecida por atuar em prol do combate à violência contra as mulheres e afirmo que a violência política de gênero que sofri publicamente na Alesp, infelizmente, não é um caso excepcional: Erica Malunguinho e Monica Seixas, minhas amigas e colegas de partido, já foram assediadas em ocasiões anteriores”, afirmou.

A secretária-geral do Sindicato, Neiva Ribeiro, lamentou o episódio e ressaltou da importância de cada vez mais as mulheres denunciarem seus agressores e cobrarem punições.

“Quando denunciamos nossos agressores, rompemos o silêncio que só beneficia a eles. O assédio pode acontecer em qualquer lugar, como foi no caso da deputada: em plena Alesp, na frente das câmeras. Então precisamos levantar a nossa voz e cobrar punições exemplares a cada episódio como este, para que não se repitam nunca mais, em lugar nenhum”, afirmou.

Neiva lembra também do projeto “Basta! Não irão nos calar”, serviço de auxílio jurídico prestado pelo Sindicato a mulheres vítimas de violência.

“Em um ano de funcionamento, o projeto já atendeu 60 pessoas, a maioria envolvendo vítimas de violência doméstica. Se você passou por alguma situação neste sentido, procure os órgãos responsáveis e entidades de apoio à luta das mulheres e não deixe de lado nenhum tipo de agressão”, completou.

Repercussão da agressao a Isa Penna

 

 

O caso gerou comoção e revolta entre aqueles que lutam contra este tipo de abuso. O PSOL, partido de Isa Penna, publicou uma nota de solidariedade à deputada. Também declararam apoio à parlamentar: o PT, o MST, o MTST e outros.

O Cidadania, partido de Cury afirmou, na noite de quinta-feira 17, que vai acionar o Conselho de Ética da legenda contra o parlamentar. Segundo a Folha de S. Paulo, o Conselho de Ética da Alesp deve analisar o caso até março.

Lideranças políticas femininas também se manifestaram nas redes sociais em apoio à deputada vítima de assédio. Veja algumas reações:



Voltar para o topo