Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Para tudo!

Greve geral ganha mais força; veja como será em São Paulo

Contra o desmonte de direitos causado pela reforma trabalhista, além dos bancários da capital, Osasco e região, diversas outras categorias em várias cidades cruzarão os braços na sexta 30. Às 16h tem ato no Masp

  • Redação Spbancarios, com informação da CUT
  • Publicado em 29/06/2017 12:19 / Atualizado em 29/06/2017 15:30

Arte: CUT

São Paulo - A greve geral desta sexta 30, contra o desmonte causado pela reforma trabalhista e a ameaça da reforma da previdência, ganhou ainda mais força e diversas categorias prometem cruzar os braços por todo o país. No estado de São Paulo, além dos bancários da capital, Osasco e região, destaque para os metroviários, ferroviários, professores, profissionais da saúde, dentre outros.

> Bancários da Caixa reafirmam adesão à greve desta sexta

Ao final do dia de paralisação, haverá um ato na capital, às 16h, com concentração em frente ao vão livre do Masp, na Avenida Paulista. 

As reformas de Temer são rejeitadas por praticamente toda a população, que também pede a renúncia imediata do presidente e a realização de Diretas Já. Na semana da greve, Temer se tornou o primeiro mandatário da história do país a ser denunciado por crime de corrupção no exercício de mandato.

Também na semana da greve, os parlamentares encerraram, nas comissões do Senado, a tramitação do PLC 38, do desmonte trabalhista, com o último passo dado pela Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania (CCJ), que aprovou parecer favorável ao projeto. A votação final será no plenário da Casa.

Quiz: você está por dentro da 'reforma' trabalhista?
Reforma trabalhista volta a ser desmascarada no Senado
Maioria dos juízes do TST aponta 50 'lesões' no PLC 38
Com reforma, trabalhador terá de pagar se perder na Justiça

Desmonte - A tal "reforma" trabalhista é, na verdade, a demolição completa dos dirteitos dos trabalhadores, conquistados a duras penas em décadas de luta (veja quadro abaixo). De uma vez só, pode aumentar a jornada para até 12 horas/dia, reduzir o tempo para almoço, eliminar a PLR, dificultar - e muito - o acesso à Justiça do trabalho, reduzir ou eliminar férias e 13º salário, deixar o funcionário à disposição do empregador recebendo apenas quando efetivamente trabalhar, facilitar a demissão em massa. Para os bancários, um retrocesso sem tamanho: adeus à incorporação de função.

> Veja funcionamento da sede durante greve do dia 30

Categorias que vão parar
(divulgadas até a manhã de quinta 29)

SÃO PAULO
- Metroviários
- Petroleiros
- Bancários
- Professores
- Saúde
- Ferroviários

OSASCO
- Bancários 
- Comerciários 
- Professores 
Às 11h tem caminhada pelo calçadão de Osasco

ABC
-
 Metalúrgicos, com ato em frente ao Sindicato, em São Bernardo do Campo. Às 9h saem em caminhada até a Praça da Matriz
- Químicos
- Professores da rede pública e particular

SOROCABA
- Rodoviários
- Metalúrgicos
- Químicos
Às 8h passeata na Zona Norte
Às 9h concentração na Praça Cel Fernando Prestes

RIBEIRÃO PRETO
Às 9h tem ato na Rua Álvares Cabral, centro da cidade
Às 11h tem concentração na Esplanada Pedro II

SÃO CARLOS
Às 7h concentração na Praça Santa Cruz, rua São Bento, 1265
Às 9h marcha pelas ruas do centro da cidade

 

 

ARARAQUARA
Às 7h tem concentração na Praça Santa Cruz
Às 9h tem marcha pela Avenida São Carlos

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
Às 17h tem ato em frente ao terminal urbano

CAMPINAS
Às 17h tem ato no Largo do Rosário

GUARULHOS
Às 4h30 tem ato no Aeroporto de Cumbica

BAURU
Das 6h às 9h ato na Avenida Rodrigues Alves, em frente a Câmara Municipal

SANTOS
Às 6h tem ato na Martins Fontes, entrada de Santos via centro da cidade
Às 6h tem ato na Av. Presidente Wilson, em frente ao teleférico de São Vicente, na Baixada Santista

JUNDIAÍ
Às 9h30, na Rua XV de Novembro, 336, centro de Jundiaí

MOGI DAS CRUZES
Às 6h, na Praça Marisa, centro de Mogi das Cruzes

PRESIDENTE PRUDENTE
Às 9h tem ato na Praça 9 de julho, em frente ao Banco do Brasil, esquina com a Av. Cel. marcondes



Voltar para o topo