Central de Atendimento

ou whatsapp (11) 97593-7749
Ferramentas da Diversidade

Filmes para pensar a diversidade: machismo

O Sindicato selecionou filmes que debatem a questão do machismo e da desigualdade de gênero. Assista, reflita, responda o questionário do 3º Censo da Diversidade e torne-se um Agente da Diversidade

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 01/10/2019 13:06 / Atualizado em 02/10/2019 10:42

Montagem: Linton Publio

O cinema é uma arte que sempre provocou importantes debates e refletiu grandes transformações da sociedade. O Sindicato selecionou uma série de filmes que nos ajuda a pensar a diversidade. Nesta matéria abordamos a questão do machismo.

Convidamos você a assistir e tornar-se um Agente da Diversidade, que nada mais é que um bancário ou bancária que lute por um ambiente de trabalho e sociedade mais justos, diversos e com mais igualdade para todos.

Glossário tim tim por tim tim da diversidade
> Filmes para pensar a diversidade: racismo​
> Filmes para pensar a diversidade: sexual e de gênero
> Filmes para pensar a diversidade: Pessoas com Deficiência

Censo da Diversidade

Bancárias e bancários já podem responder ao questionário do 3º Censo da Diversidade, que está disponível no site da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). O Censo vai traçar um perfil da categoria bancária por gênero, raça, orientação sexual e PCDs (pessoas com deficiência). Os dados servirão para analisar o grau de inclusão nos bancos e, a partir daí, propor políticas de promoção da igualdade de oportunidades no setor bancário.

Clique aqui para responder o questionário do III Censo da Diversidade e colabore para a construção de um setor mais justo, diverso e igualitário para todos.

Contraf pede prorrogação de prazo do Censo da Diversidade

Histórias Cruzadas

O filme narra a luta de Eugenia Skeeter Phelan na década de 60 nos Estados Unidos. Moradora de Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, a garota, que quer ser jornalista, decide escrever um livro sob a perspectiva das empregadas negras acostumadas a cuidar dos filhos da elite branca, da qual ela mesma faz parte. Skeeter se alia à empregada de sua melhor amiga, Aibileen Clark e, mesmo contrariando a sociedade, seguem em busca de igualdade.

Renascimento do Parto

A realidade obstétrica brasileira é retratada neste documentário, que denuncia o alto número de cesáreas realizadas, na maioria das vezes, desnecessariamente. O filme ainda relata casos de mulheres vítimas de violência obstétrica, que tiveram seus direitos e desejos violados.

Terra Fria

Baseado em caso real, o filme conta a história de Aimes, uma mulher que deixa o marido que a espancava para procurar um emprego e sustentar sozinha seus dois filhos. Para tanto, resolve trabalhar em uma mineradora de ferro no interior do estado de Minnesota, nos EUA.

Por ser uma das poucas mulheres que trabalhavam no local, a personagem sofre com os abusos masculinos que vão desde xingamentos até investidas sexuais. Sem respostas para suas reclamações, Aimes decide entrar com uma ação judicial contra a empresa, sendo propositora da primeira ação coletiva por assédio sexual dos Estados Unidos.

Revolução em Dagenham

A luta das mulheres por melhores condições salariais em um ‘mundo de homens’ é a temática central do filme. As operárias da fábrica da Ford de Dagenham vivenciam uma rotina desgastante de trabalho, atrelada a condições precárias e longas jornadas.

 

 

Como se fosse da família

Neste documentário, duas trabalhadoras domésticas refletem sobre a vida e o trabalho. As domésticas debatem a recente regulamentação que garante os mesmos direitos dos trabalhadores às domésticas: “minha história seria outra”, afirma uma delas.

O Silêncio das Inocentes

A vida e história de mulheres vítimas de violência doméstica é o foco deste documentário. A obra relata também o caso de violência contra a farmacêutica Maria da Penha, cujo nome batiza a lei que pune com mais rigor os agressores.

Virou o jogo – A história de Pintadas

No sertão baiano, na cidade de Pintadas, o machismo era a regra. Diante de um contexto dominado pelos homens, as mulheres se organizaram para transformar a realidade local e afirmarem suas identidades e direitos.

O Sorriso de Mona Lisa

O filme conta a história de um grupo de mulheres brilhantes que estudavam em uma universidade dos anos 50 nos Estados Unidos, mas que, mesmo com os estudos, tinham como horizonte se tornarem boas e cultas esposas. É aí que entra uma professora de artes: ampliando as possibilidades e referências das meninas, a educadora convida as estudantes a desafiarem essa situação e fazer com que assumam seu protagonismo na sociedade.

Preciosa – Uma história de Esperança

Inspirada pelo romance “Push”, da escritora Sapphire, o filme conta a história de Claireece “Precious” Jones, uma jovem de 16 anos que sofreu diversos abusos durante sua infância. Ela engravida pela segunda vez – de seu pai – e é suspensa da escola. A diretora, então, consegue uma vaga em uma escola alternativa, onde, com a ajuda de uma educadora que consegue ver para além das marcas da violência que sofreu, ela aprende a ler e escrever e consegue mudar os rumos de sua vida.



Voltar para o topo