Pular para o conteúdo principal

Na zona leste, bancários protestam contra demissões no Bradesco

Linha fina
Três agências receberam manifestações do Sindicato na manhã desta terça-feira 3, contra os cortes em meio à pandemia
Imagem Destaque
Foto: Seeb/SP

Os protestos do Sindicato contra as demissões no Bradesco não param. Na manhã desta terça-feira 3, bancários realizaram manifestações em três agências da zona leste da capital paulista: Ag.7808 (Rio das Pedras), Ag.1415 (Vila Diva) e Ag.0137 (Vila Formosa). O Bradesco, que lucrou R$ 5,031 bilhões no 3º trimestre de 2020, cortou 3.338 empregos em doze meses. Somente entre março e o final de setembro foram fechados 1.300 postos de trabalho, apesar do compromisso assumido pelo banco de não demitir durante a pandemia.

CLIQUE AQUI e fique por dentro da campanha do Sindicato contra as demissões nos bancos
Demitido? Procure o Sindicato!

“Na sexta-feira 30, poucos dias antes de realizarmos as atividades nas agências, o Bradesco anunciou o lucro do terceiro trimestre, 29,9% superior ao resultado apresentado no trimestre anterior. Em 9 meses, já são R$ 12,657 bilhões de lucro. Por outro lado, vemos que em plena pandemia o banco está demitindo milhares de pais e mães de família, não honrando um compromisso público assumido pela empresa. É por isso que estamos nas ruas, nos locais de trabalho, e também nas redes, para denunciar esta postura absurda por parte do banco”, enfatiza o dirigente do Sindicato e bancário do Bradesco Márcio Vieira. 

Bancários de todo país protestam contra demissões no Bradesco
Contra demissões no Bradesco, a luta vai aumentar!
Contra demissões no Bradesco, moções de repúdio se espalham por Osasco e região
Nas ruas e nas redes, bancários protestaram contra demissões nos bancos  

“Estas três agências em que estivemos são vinculadas à regional Aricanduva, na qual já foram realizadas muitas demissões. Somente na agência da Vila Diva foram sete bancários demitidos. Já a agência Vila Formosa incorporou uma unidade fechada pelo Bradesco e, mesmo assim, após dois dias da incorporação, foram demitidos um gerente geral e um caixa, sobrecarregando bancários e prejudicando o atendimento da população”, relata Márcio. 

De acordo com o dirigente do Sindicato, o processo de demissões ocorre em paralelo com determinações do número de atendimentos nos caixas. “Algumas agências determinaram redução de 90% das autenticações nos caixas, colocando os clientes para fora das unidades, forçando a utilização dos terminais de autoatendimento.”

Bancários do centro protestam contra demissões no Bradesco
Protesto contra demissões chega em Alphaville
Clientes reclamam do serviço precário e pedem mais bancários
Sindicato volta a denunciar demissões no Bradesco
Bancários promovem ato contra demissões na zona sul de São Paulo
Contra demissão, bancários reagem na região Paulista
Contra as demissões, bancários protestam na zona norte de São Paulo
Bancários iniciam protestos contra demissões no Bradesco

Bancários não vão recuar

O Sindicato, assim como as demais entidades representativas da categoria, vai intensificar as atividades de protesto até que o Bradesco interrompa as demissões.  

“Me senti descartado como lixo”, desabafa bancário demitido pelo Bradesco