Pular para o conteúdo principal
Chapéu
Cinema

Cine Birita encerra o Novembro da Resistência

Linha fina
Mostra de curtas-metragens traz quatro filmes que abordam a herança afrodescendente no Brasil sob diferentes aspectos
Imagem Destaque
Foto: Divulgação

Ao longo deste mês, o Sindicato fará uma série de atividades para celebrar o Novembro da Resistência. O calendário é motivado pelo Dia da Consciência Negra, comemorado no dia 20, e pelo Dia do Combate à Violência contra a Mulher, dia 25.

Para encerrar a programação, o Café dos Bancários recebe mais uma edição do Cine Birita na quarta-feira 28. Desta vez, a mostra de curtas-metragens que realiza sessões de cinema independente em diferentes bares traz quatro filmes que abordam, de uma forma ou de outra, a herança afrodescendente no Brasil e os problemas decorrentes das diferentes formas de opressão.

O Barco – dir. Guilherme Areias e Ana Clara Costa - O filme conta a história da família de Jair, Janete e Pedro que, em contato com elementos que remetem às suas ancestralidades e à cultura afro-brasileira, lidam de formas diferentes, e nos convidam a construir outros imaginários sobre uma das matrizes culturais mais importantes do nosso país.

Cinema de Preto – dir. Danddara - No set de filmagens de sua cinebiografia, Adias Nascimento conversa com a equipe acerca da contribuição de artistas e técnicos afrodescendentes para o cinema brasileiro.

Eu preciso destas palavras escrita – dir. Milena Manfredini - O passado de Arthur Bispo do Rosario é praticamente desconhecido. Sabe-se apenas que era negro, marinheiro e pugilista. Em 1938 é internado na Colônia Juliano Moreira após um delírio místico. Com diagnóstico de esquizofrenia paranoide é iniciada sua peregrinação em busca do divino e da catalogação do universo.

Close – dir. Roseane Gurgel - Jéssica, Suyanne, Bruna e Nathália estão detidas na Unidade Prisional, localizada em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza. Um espaço, várias histórias, a mesma esperança compartilhada por todas: resistir e lutar pelo fim do preconceito.O Café dos Bancários abre às 17h, e os filmes começarão a ser exibidos pontualmente às 19h30.

A entrada é gratuita, e bancários sindicalizados têm 10% de desconto na hora de pagar a conta. Se você ainda não é sócio do Sindicato dos Bancários, faça já sua sindicalização! Aproveite para conferir ouras vantagens de ser sindicalizado.

Além dos cartões de débito e crédito, a casa também aceita os vales-refeição Alelo, Ticket, Sodexo, VR, Policard e Valecard.

O Café dos Bancários fica na Rua São Bento, 413, no centro de São Paulo. 

Leia reportagens do Novembro da Resistência

Políticas afirmativas ajudam a formar geração de intelectuais negros
Filmes para refletir sobre a questão racial
Seis episódios recentes que mostram o quanto o Brasil é racista
> Meu cabelo e a cor da minha pele te incomodam, por quê?
> Ivone Silva: 'Você entra numa agência e não vê um negro'.
> Quais são os desafios para a promoção da igualdade racial?
Filmes para debater a violência contra a mulher
> Sindicato inicia 16 Dias de Ativismo pelo Fim da violência contra a mulher
Curta-metragem: O Brasil é um país racista?
Lute como uma mulher!
> Por que o Brasil não pediu perdão pela escravidão?
Por que não temos o mês da consciência branca?